Foto antiga de aglomeração em agência da Caixa é usada em boato sobre auxílio de R$ 600
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Foto antiga de aglomeração em agência da Caixa é usada em boato sobre auxílio de R$ 600

Pagamento emergencial a trabalhadores informais ainda não foi sancionado por Bolsonaro

Alessandra Monnerat

01 de abril de 2020 | 12h34

Leia a versão em espanhol

É falso que o auxílio emergencial de R$ 600 a trabalhadores informais tenha causado aglomeração de pessoas em frente a uma agência da Caixa Econômica Federal, ao contrário do que afirmam posts no Facebook. As fotos usadas nas postagens da rede social são antigas; foram tiradas em 2013 no Recife. Além disso, o valor do auxílio não foi liberado — o presidente Jair Bolsonaro ainda precisa sancionar o decreto aprovado no Senado na segunda-feira, 30.

Bolsonaro disse que assinaria o decreto que institui o pagamento a trabalhadores informais, intermitentes e empreendedores individuais nesta quarta-feira, 1. Na terça-feira, 31, o presidente havia feito a mesma promessaA demora na sanção provocou descontentamento nas redes sociais, e usuários do Twitter usaram a hashtag #PagaLogoBolsonaro para reclamar. A aprovação do valor pelo Congresso foi motivada pela pandemia do novo coronavírus.

Boato sobre auxílio emergencial de R$ 600. Foto: Reprodução/Facebook

A foto da aglomeração de pessoas em frente à Caixa foi tirada em 2013 após se espalhar o boato de que o auxílio do Bolsa Família seria suspenso. A imagem foi feita por Wanessa Andrade, da TV Globo, e foi publicada em reportagem do G1 sobre o assunto.

Acompanhe a cobertura em tempo real do Estado sobre o novo coronavírus.

Confira as respostas a 115 dúvidas sobre a covid-19.

Veja outras informações falsas sobre o coronavírus que circulam no WhatsApp.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas: apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Versão em espanhol

Texto traduzido pelo LatamChequea, grupo colaborativo que reúne dezenas de fact-checkers da América Latina no combate à desinformação relacionada ao novo coronavírus.

Una foto vieja de una aglomeración en la agencia de la Caixa se usa en un rumor sobre el subsidio de R$ 600

Es falso que el subsidio de emergencia de R$ 600 a trabajadores informales haya causado una aglomeración de personas frente a una agencia de la Caixa Econômica Federal, al contrario de lo que afirman algunos posteos en Facebook. Las fotos usadas en los posteos de esa red social son viejas; fueron sacadas en 2013, en Recife. Además, el valor del subsidio no fue establecido, el presidente Jair Bolsonaro debe aún emitir el decreto aprobado en el Senado el lunes 30.

Bolsonaro dijo que firmaría el decreto que establece el pago a trabajadores informales, intermitentes y emprendedores individuales este miércoles 1. El martes 31, el presidente había hecho la misma promesaLa demora en la sanción provocó descontento en las redes sociales, y usuarios de Twitter utilizaron el hashtag #PagaYaBolsonaro para reclamar. La causa de la aprobación de ese valor por parte del Congreso es la pandemia del nuevo coronavirus.

La foto de la aglomeración de personas frente a la Caixa fue sacada en 2013, después de divulgar el rumor de que se suspendería el subsidio Bolsa Família (Beca Familia). La imagen fue tomada por Wanessa Andrade, de TV Globo, y se publicó en un artículo de G1 sobre ese tema.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: