Coronavírus: veja correntes com informações falsas que circulam no WhatsApp
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Coronavírus: veja correntes com informações falsas que circulam no WhatsApp

Antes de repassar qualquer mensagem, confira os boatos sobre o vírus e a doença enviados ao Estadão Verifica (11-99263-7900)

Alessandra Monnerat

12 de março de 2020 | 14h55

Em tempos de pandemia do novo coronavírus, a desinformação sobre a doença se espalha de forma viral no WhatsApp e nas redes sociais. Antes de repassar qualquer mensagem, confira abaixo uma lista de correntes com informações falsas sobre o vírus e a doença enviadas ao WhatsApp do Estadão Verifica (11-99263-7900).

Recebeu uma mensagem que ainda não foi verificada? Você também pode identificar conteúdo enganoso seguindo essas dicas:

  • Ainda não existe remédio que cure a doença do coronavírus. Não acredite em mensagens que prometem cura milagrosa
  • As recomendações para se proteger do contágio incluem medidas simples de higiene; não siga conselhos diferentes dos divulgados pelos órgãos oficiais de saúde
  • Não repasse mensagens alarmistas ou com informações vagas, que não indicam local e data precisos
  • Verifique se a notícia que você recebeu pelo WhatsApp foi publicada em veículos profissionais de imprensa ou por órgãos oficiais (secretarias municipal e estadual da Saúde, Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde)
  • Desconfie de textos com erros de ortografia e pontuação exagerada

Mulher com máscara em Nova York. Foto: AP Photo/John Minchillo

“O vírus é fraco e não resiste ao calor. Temperaturas de 26 ou 27° C já matam o dito cujo. (…) Conselhos: beber água quente ou chás quentes para matar o vírus.”

Não é verdade. Segundo as evidências observadas pela OMS, o novo coronavírus pode ser transmitido em todas as áreas, até mesmo as com clima quente e úmido. Dessa forma, tomar bebidas ou banhos quentes ou usar secadores de ar quente nas mãos não são formas efetivas de proteção. O jeito é constantemente lavar as mãos com água e sabão ou desinfetar as mãos com álcool em gel.

“Por favor, use o máximo de * vitamina C natural possível * para fortalecer seu sistema imunológico. (…) É importante ter maior conhecimento da doença: o professor Chen Horin, CEO do Hospital Militar de Pequim, disse: “Fatias de limão em um copo de água morna podem salvar sua vida”.”

Esse é um boato antigo — já havia sido espalhado antes, com a mentira de que água com limão cura câncer. A receita também não combate o novo coronavírus; como dito anteriormente, ainda não foram desenvolvidos medicamentos para combater a doença.

Até agora, a melhor forma comprovada de prevenção é a higiene adequada das mãos. Nem a OMS nem o Ministério da Saúde recomendam o uso de vitamina C para evitar a infecção. Como ocorre com qualquer substância, o consumo excessivo de vitamina C não é benéfico e pode causar sintomas como diarreia, náuseas e cólicas abdominais.

“Não quero assustar ninguém, mas o coronavírus se espalhará irreversivelmente em breve. E a principal forma de se infectar será através das notas de dinheiro. Portanto, colete todas as suas notas com luvas e coloque-as em um envelope plástico selado.”

A OMS recomenda lavar as mãos com água e sabão ou usar álcool em gel após mexer em notas de dinheiro, especialmente antes de comer — são regras básicas de higiene. Mas não há nenhum alerta de que notas de dinheiro sejam a principal forma de contágio do novo coronavírus. Segundo a Fiocruz, as investigações sobre a transmissão ainda estão em andamento, mas até agora a disseminação é de pessoa para pessoa.

“* Operação xeque-mate, * Nos últimos dias, a China bateu muitos recordes, ganhou absolutamente tudo, US$ 20 bilhões nas primeiras notícias e comprou cerca de 30% das ações de empresas pertencentes ao Ocidente na China.”

A corrente acima alega que a pandemia de coronavírus é uma jogada da China para obter ganhos econômicos. Mas a teoria da conspiração não tem pé nem cabeça. Primeiramente, não há nenhum indício que o SARS-CoV-2 (nome oficial do coronavírus) tenha sido criado em laboratório. Em segundo lugar, as bolsas da Ásia, incluindo as da China, vêm apresentando queda em reação ao avanço da pandemia.

“O coronavírus é ‘uma arma ofensiva de guerra biológica, vírus geneticamente modificado desenhado por científicos humanos”, conforme os análisis deste vírus feito nos laboratórios, com propriedades de ganancia de função, pelo qual o governo chinês originalmente tratou de ocultar-o.”

Essa é outra versão da teoria da conspiração anterior. Como já foi dito, as propriedades do novo coronavírus não condizem com características de organismos criados em laboratórios; além disso, a maioria dos países abandonou seus programas de armas biológicas em razão de sua baixa eficiência.

“Se você quer mesmo fazer uma assepsia completa das suas mãos e dos seus braços, você tem que utilizar, por incrível que pareça, o vinagre. Porque o vinagre é um ácido acético, ele sim mata.”

A alegação acima é feita em um vídeo que circulou amplamente no WhatsApp, que recomenda que não se use álcool em gel para limpeza das mãos. Mas é tudo falso. Tanto a OMS quanto o Ministério da Saúde aconselham utilizar álcool em gel ou água e sabão para limpar as mãos. O vinagre não tem eficiência comprovada para “matar” o SARS-CoV-2.

Outras recomendações da OMS para evitar contágio: manter distância de 1 metro de pessoas que estão tossindo ou espirrando; evitar tocar olhos, nariz e boca; cobrir o nariz e a boca com o cotovelo quando espirrar; procurar o serviço médico se apresentar dificuldade de respirar, febre e tosse.

Tudo o que sabemos sobre:

fake news [notícia falsa]coronavírus

Tendências: