É montagem foto de Doria vestindo máscara com a bandeira da China
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É montagem foto de Doria vestindo máscara com a bandeira da China

Governador tucano acompanhou o candidato à reeleição Bruno Covas em dia de votação

Pedro Prata

15 de novembro de 2020 | 19h54

É montagem uma imagem em que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), veste uma máscara com a bandeira da China. A peça de desinformação viralizou no Facebook e foi compartilhada ao menos 6,2 mil vezes. Outras fotos mostram que na verdade o tucano vestia uma máscara preta.

Imagem da bandeira chinesa foi incluída digitalmente em foto, Foto: Reprodução

O tucano foi votar ao lado do candidato à reeleição na capital, Bruno Covas (PSDB), e a mulher, Bia Doria. Vídeos publicados no Instagram do governador mostram que ele vestia uma máscara preta. Detalhes como o portão da casa ao fundo e a cor da roupa de todos os presentes permitem concluir se tratar da mesma situação mostrada na imagem adulterada.

Foto: Instagram/@jdoriajr/Reprodução

O fotógrafo Werther Santana, do Estadão, registrou o momento em que Covas votava em colégio da zona oeste de São Paulo. A imagem mostra o candidato e o governador tucano juntos, com as mesmas roupas. É possível ver que João Doria estava com máscara preta.

Candidato à reeleição, Bruno Covas votou em colégio da zona oeste da Capital. Foto: Werther Santana/Estadão

A tentativa de ligar João Doria à China tem relação com os embates políticos em torno de uma vacina para a covid-19. O governador já fechou acordo por meio do Instituto Butantan para compra e produção da vacina Coronavac, do laboratório chinês Sinovac. Doria pressiona Bolsonaro para que faça o Ministério da Saúde distribuir o imunizante em todo o País, mas o presidente resiste à ideia. O governo federal fechou acordo com o laboratório AstraZeneca para obter a vacina da universidade de Oxford por meio do laboratório da Fiocruz.

Este conteúdo também foi checado por Agência Lupa e Aos Fatos.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Tudo o que sabemos sobre:

joão doriaeleições 2020

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: