É falso que Doria tenha usado helicóptero para ‘furar quarentena’ em Angra dos Reis

É falso que Doria tenha usado helicóptero para ‘furar quarentena’ em Angra dos Reis

Aeronave que aparece em foto viral fez uma viagem no sábado, mas governador estava presente em cerimônia de início da vacinação de comunidade quilombola no interior de São Paulo no mesmo horário

Samuel Lima, especial para o Estadão

26 de janeiro de 2021 | 16h15

Não é verdade que João Doria (PSDB) tenha furado a quarentena e passado o final de semana dos dias 23 e 24 de janeiro em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro. O boato foi compartilhado nas redes sociais com a foto de um helicóptero do governador de São Paulo, de inscrição “PP-JDJ”, em uma pista de pouso. O Estadão Verifica não conseguiu identificar a origem da imagem ou confirmar a localização e momento em que foi tirada. Ainda assim, é impossível que Doria estivesse a bordo da aeronave na cidade fluminense — ele participou, no sábado, da vacinação de uma comunidade no Vale do Ribeira, como confirmam fotos e registros de voos.

O helicóptero “PP-JDJ” realmente pertence ao Grupo Doria, segundo os registros da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). As cores do veículo na imagem também conferem com a descrição de uma reportagem da revista Época de 2018. No entanto, a única viagem da aeronave no final de semana ocorreu na manhã de sábado, 23 de janeiro, entre 10h20min às 13h06min, com base nas plataformas de dados de aviação FlightAware e FlightRadar24.

Helicóptero “PP-JDJ” que aparece em imagem fez apenas uma viagem de ida e volta na manhã de sábado, 23 de janeiro. Foto: Reprodução / FlightAware

Nesse horário, Doria participou de evento que marcou o início da vacinação contra a covid-19 na comunidade Quilombo Ivaporunduva, em Eldorado, no Vale do Ribeira. O compromisso aparece na agenda oficial do governador e foi registrado em fotos, vídeos e áudio pelo governo do Estado. Veículos de imprensa também noticiaram o fato.

O governador João Doria (PSDB) participou da imunização na comunidade Quilombo Ivaporunduva, em Eldorado, no dia 23 de janeiro. Foto: Governo do Estado de São Paulo

Procurado pelo Estadão Verifica, o governo de São Paulo disse que a mensagem nas redes é “inteiramente falsa”, pois Doria participou do evento no sábado e passou o domingo em sua residência na capital paulista. “A informação mentirosa, mais uma vez, é disseminada por perfis negacionistas sem qualquer credibilidade que se prestam ao papel de espalhar fake news para tentar, sempre sem sucesso, questionar as medidas de combate à pandemia no Estado de São Paulo”, respondeu em nota.

De acordo com o governo paulista, Doria viajou para Eldorado a bordo de um helicóptero EC135, da Polícia Militar, de registro “PR-GSP”. As plataformas de dados de voos consultadas mostram que a aeronave decolou de São Paulo por volta de 9h48min de sábado, 23 de janeiro, e chegou a uma região próxima de Embu das Artes às 10h, sendo esta a última localização conhecida. A rota bate com o destino em Eldorado, ainda que esteja incompleta. Na volta, a aeronave é vista primeiro em Juquitiba e Itapecerica da Serra e chega a São Paulo às 13h48min.

Plataforma mostra voos do helicóptero “PR-GSP” que transportou Doria a quilombo em Eldorado. Foto: Reprodução / FlightAware

Rota do helicóptero “PR-GSP” em 23 de janeiro em direção a Eldorado. Foto: Reprodução / FlightRadar24

Localização do Quilombo Ivaporunduva em relação a São Paulo. Foto: Reprodução / Google Maps

A reportagem também questionou o governo a respeito da viagem do helicóptero “PP-JDJ”, solicitando o destino e a relação de passageiros. A pergunta foi encaminhada para o Lide, grupo de líderes empresariais do qual faz parte do Grupo Doria. O setor de comunicação afirmou que, por se tratar de voo particular, não repassaria as informações. “Só posso confirmar que não havia qualquer autoridade no helicóptero”, escreveu uma diretora. Os dados disponíveis das viagens mostram rotas de ida e volta entre Osasco e uma área próxima de Salesópolis, mas não é possível ter certeza de onde ocorreu o pouso.

Rota do helicóptero “PP-JDJ” na manhã de 23 de janeiro parte de Osasco e termina em localidade próxima a Salesópolis. Foto: Reprodução / FlightRadar24

O Estadão Verifica encontrou, como versão mais antiga do boato, um print de Instagram compartilhado no Twitter na noite de sábado, 23 de janeiro. O conteúdo foi replicado pelo deputado estadual bolsonarista Gil Diniz e já circula em outro formato no Facebook, com a frase “Doria fecha SP e vai para Angra dos Reis no final de semana”. A mensagem sugere incoerência entre o suposto “passeio” do governador e o anúncio de que o Estado migraria para a etapa mais restritiva do plano de combate à covid-19 na sexta-feira, 22.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.