É boato que urnas tenham sido apreendidas no Amazonas já preenchidas com votos para Haddad
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

É boato que urnas tenham sido apreendidas no Amazonas já preenchidas com votos para Haddad

Fotos são verdadeiras, mas foram usadas fora de contexto por um policial militar

Estadão Verifica

25 de outubro de 2018 | 14h50

checagem abaixo foi publicada pelo Projeto Comprova. A verificação foi realizada por uma equipe de jornalistas da Folha de S. Paulo, do SBT e do Jornal do Commercio. Outras redações concordaram com a checagem, no processo conhecido como “crosscheck”.

Projeto Comprova é uma coalizão de 24 veículos de mídia com o objetivo de combater a desinformação durante o período eleitoral. Você pode sugerir checagens por meio do número de WhatsApp (11) 97795-0022.

São falsas as informações de uma corrente compartilhada pelo WhatsApp que afirma que quatro urnas eletrônicas foram apreendidas em um carro particular “preenchidas com voto para o Haddad com pelo menos 81%” (sic).

Segundo a mensagem viral falsa, o veículo estaria transportando ilegalmente as urnas a Autazes, município no interior do estado do Amazonas, quando teria sido parado em uma blitz da Polícia Militar.

Em nota divulgada na segunda-feira, 22 de outubro, o TRE-AM (Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas) informou que as imagens das urnas sendo apreendidas em um carro são verdadeiras, mas foram feitas e divulgadas por um policial “de forma equivocada”.

A Polícia Militar do Amazonas disse que na tarde do sábado, 20 de outubro, uma equipe de policiais da 8° CIPM de Iranduba, que realizava a operação “Sentinelas do Amazonas, ação Comunidade Segura”, abordou um veículo oficial do TRE, no qual havia urnas que estavam sendo encaminhadas para atender o pleito do município de Careiro da Várzea.

Na abordagem foi constatado que não havia irregularidade porém, um dos policiais fotografou as urnas sendo transportadas e divulgou em sua rede social de forma equivocada.

A corrente de texto falsa também conta que a informação foi divulgada na rádio Odisseia FM 104.9 – o que não é verdade.

Em nota publicada no Facebook, a rádio diz que “em momento algum divulgou ou postou informações referentes a essa que está circulando”. Em outro trecho, a nota faz um alerta: “Pedimos sempre para que todos chequem as fontes das informações, para evitar que notícias falsas, como esta, não se espalhem”.

O Comprova recebeu a sugestão de checagem do boato pelo WhatsApp do projeto.

A verificação da peça também foi feita pelos sites Fato ou Fake, do Grupo Globo, e Boatos.org.

Tudo o que sabemos sobre:

fernando haddadurnas eletrônicas

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.