Coronavírus: estudo desmente teoria conspiratória sobre criação em laboratório da China
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Coronavírus: estudo desmente teoria conspiratória sobre criação em laboratório da China

Cientistas afirmam que características do SARS-CoV-2 apontam para uma origem natural

Alessandra Monnerat

19 de março de 2020 | 15h08

Desde o início da transmissão do novo coronavírus pelo mundo, teorias conspiratórias divulgadas em redes sociais e no WhatsApp especulam que o SARS-CoV-2 teria sido criado em laboratório na China. Um estudo publicado nesta semana na revista científica Nature Medicine desmente esses boatos. Pesquisadores de universidades dos Estados Unidos, Reino Unido e Austrália afirmam que o vírus tem origem natural. “Nossas análises mostram claramente que o SARS-CoV-2 não é uma construção de laboratório ou um vírus manipulado propositadamente”, informa o artigo.

Os autores do estudo compararam a estrutura genética do SARS-CoV-2 com a de outros vírus da mesma família. Os cientistas ressaltaram que, se houvesse manipulação genética em laboratório, a estrutura do novo coronavírus seria parecida com a de outros organismos existentes. Em outras palavras, se alguém quisesse criar um novo vírus com o objetivo de causar doenças, usaria um “molde” conhecido. “As informações genéticas mostram de maneira irrefutável que o SARS-CoV-2 não é derivado de nenhuma estrutura central de vírus usada anteriormente”, informa a pesquisa.

SARS-CoV-2 visto em microscópio. Foto: Divulgação/Scripps Research

Outra característica importante descarta a teoria de criação humana. Os pesquisadores analisaram a estrutura que o vírus usa para se “agarrar” às paredes externas de outras células, em especial o chamado domínio de ligação ao receptor (RBD). Essa parte do SARS-CoV-2 foi tão eficaz em se conectar a células humanas que os cientistas concluíram que ela era resultado de seleção natural, e não de engenharia genética.

A partir dessas evidências, os autores do estudo propuseram duas possíveis origens para o novo coronavírus: ele pode ter evoluído para seu estado atual em hospedeiros animais antes de passar para humanos; ou pode ter “pulado” de animais a humanos e só então ter desenvolvido suas características distintivas.

Leia o estudo em inglês aqui.

Estadão Verifica já havia apontado que a teoria conspiratória de que a China causou a pandemia da covid-19 em busca de ganhos econômicos era falsa. Primeiramente, porque especialistas já haviam indicado evidências que o vírus tinha origem natural. E em segundo lugar, as bolsas da Ásia vêm enfrentando fortes quedas em razão do novo coronavírus.

Os autores do estudo sobre as origens do novo coronavírus são: Kristian G. Andersen, doAndrew Rambaut, da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido; W. Ian Lipkin, da Edward C. Holmes, da Universidade de Sydney, na Austrália; e Robert F. Garry, da Universidade Tulane, nos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:

coronavírusfake news [notícia falsa]

Tendências: