Boato no Facebook inventa que novo coronavírus foi ‘planejado’ pela China
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Boato no Facebook inventa que novo coronavírus foi ‘planejado’ pela China

Post com mais de 45 mil compartilhamentos divulga a informação falsa de que China já estaria "livre" da covid-19

Alessandra Monnerat

18 de março de 2020 | 15h07

Leia a versão em espanhol

Um post com mais de 45 mil compartilhamentos no Facebook divulga a informação falsa de que a China já estaria “livre” do novo coronavírus, depois de ter matado 1% de sua população. Esse boato repercute a teoria da conspiração de que a covid-19 teria sido uma invenção chinesa para obter ganhos econômicos — o que não corresponde à realidade.

Apesar de o número de novos casos diários do novo coronavírus na China ter diminuído significativamente, o país ainda não se “livrou” da doença. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), foram registrados 81,2 mil casos chineses, até agora o país com maior número de pacientes.

Mulher com máscara em Shangai Foto: REUTERS/Aly SongAté esta quarta-feira, 19, haviam sido confirmadas 3.242 mortes pela covid-19 na China. Usando a estimativa de que a população chinesa seja de 1,3 bilhão, o número de óbitos representa pouco mais de 0,0002% de seus habitantes.

A teoria conspiratória de que a China teria “inventado” o novo coronavírus não tem pé nem cabeça. Primeiramente, não há nenhum indício que o SARS-CoV-2 (nome oficial do vírus) tenha sido criado em laboratório. Em segundo lugar, as bolsas da Ásia, incluindo as da China, vêm apresentando queda em reação ao avanço da pandemia.

Acompanhe a cobertura em tempo real do Estado sobre o novo coronavírus.

Confira as respostas a 115 dúvidas sobre a covid-19.

Veja outras informações falsas sobre o coronavírus que circulam no WhatsApp.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

Versão em espanhol

Texto traduzido pelo LatamChequea, grupo colaborativo que reúne dezenas de fact-checkers da América Latina no combate à desinformação relacionada ao novo coronavírus.

Rumor en Facebook inventa que el nuevo coronavirus fue “planeado” por China

Un posteo compartido por más de 45.000 personas en Facebook difunde la información falsa de que China ya estaría “libre” del nuevo coronavirus, después de haber matado al 1% de su población. Ese rumor refleja la teoría de la conspiración de que la Covid-19 habría sido un invento de China para obtener ganancias económicas, lo que no se corresponde con la realidad.

Si bien el número de casos nuevos diarios del nuevo coronavirus en China disminuyó significativamente, el país todavía no se “libró” de la enfermedad. Según la Organización Mundial de la Salud (OMS), en China se registraron 81.200 casos y hasta ahora es el país con el mayor número de pacientes.

Hasta este miércoles 19, habían sido confirmadas 3.242 muertes por Covid-19 en China. Usando la estimación de que la población china es de 1.300 millones de habitantes, el número de muertes representa algo más del 0,0002% de sus habitantes.

La teoría conspirativa de que China habría “inventado” el nuevo coronavirus no tiene pies ni cabeza. En primer lugar, no hay ningún indicio de que el SARS-CoV-2 (nombre oficial del virus) haya sido creado en laboratorio. En segundo lugar, las bolsas asiáticas, incluyendo las de China, vienen presentando una caída como reacción al avance de la pandemia.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: