Checamos a sabatina de Bruno Covas no Estadão: veja o resultado
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Checamos a sabatina de Bruno Covas no Estadão: veja o resultado

Candidato à reeleição exagerou número de unidades habitacionais e pontos de WiFi entregues por sua gestão

Alessandra Monnerat, Pedro Prata e Tiago Aguiar

15 de outubro de 2020 | 16h30

O Estadão Verifica checou as declarações do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), durante a sabatina do Estadão realizada nesta quinta-feira, 15. Candidato à reeleição, o tucano exagerou os números de pontos de WiFi na cidade e de unidades habitacionais entregues pela gestão municipal. Veja abaixo a checagem.

Candidato à reeleição, Bruno Covas (PSDB), durante sabatina do Estadão. Foto: Reprodução

“No Ideb, a cidade de São Paulo teve o maior salto entre as 27 capitais”.

De fato, a rede municipal da cidade de São Paulo teve o maior aumento no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) do País nos anos finais do ensino fundamental (6º a 9º ano). No entanto, Covas não mencionou que a meta proposta para 2019 não foi atingida. No ranking das capitais, liderado por Teresina, a capital paulista está em 10º lugar.

“Acho importante que a Câmara vote o projeto de iniciativa do vereador Eduardo Suplicy e de outros 20 vereadores, é um projeto de autoria coletiva na Câmara dos Vereadores”

É verdade que o texto tem autoria coletiva. O Projeto de Lei 207/2020, que cria o Programa de Renda Básica Emergencial Municipal, foi inicialmente apresentado pelo vereador Eduardo Suplicy (PT), mas tem, além do petista, mais 29 autores, atualizados por requerimento.

Documento

Em uma articulação pública, feita no Twitter, Covas decidiu avalizar o projeto de Suplicy para um auxílio emergencial de R$ 100 para famílias beneficiadas pelo Bolsa Família, ambulantes, trabalhadores informais e outros prejudicados pela pandemia de covid-19. O presidente da Câmara, Eduardo Tuma, disse que colocará o tema em votação até o dia 22.

“Nós ampliamos de 120 pontos de WiFi, vamos chegar a 1.120 pontos.” 

A afirmação de Covas é exagerada. De acordo com o último relatório do Programa de Metas, publicado em julho deste ano, a Prefeitura instalou 180 pontos adicionais do Programa WiFi Livre SP. Ao todo, a cidade contava com 300 pontos de internet gratuita até julho. Segundo o relatório divulgado pela Prefeitura, o objetivo era instalar mais 100 pontos de WiFi no 3º trimestre de 2020. O número total de pontos de acesso à Internet divulgado pela Prefeitura de São Paulo é menor que o citado por Bruno Covas.

Documento

O programa de WiFi foi implementado em 2014, durante a gestão do petista Fernando Haddad, inicialmente com 120 pontos.

“Vamos chegar ao fim do ano, com a dívida do Brasil [da União], de 100% do PIB brasileiro”.

Covas teceu comentários sobre a dívida pública da União, e citou dados corretos. De acordo com uma projeção do Fundo Monetário Internacional (FMI), devido ao “forte aumento do déficit primário”, a dívida pública bruta ficará próxima a 100% do PIB neste ano e continuará elevada no médio prazo. A instituição disse que “a implementação célere de reformas estruturais que garantam a consolidação (fiscal) a médio prazo será essencial” para diminuir o crescimento da dívida pública.

“As 25 mil unidades habitacionais, recorde na história da cidade de São Paulo, são para atender a população da periferia”.

Entre janeiro de 2019 e junho de 2020, a Prefeitura de São Paulo entregou 6.977 novas unidades habitacionais, de acordo com relatório do Programa de Metas da Cidade publicado em julho. A gestão Bruno Covas planejava entregar mais 35 empreendimentos até o fim do ano, com mais 7.894 unidades habitacionais. Ao todo, a Prefeitura contabilizava 86.687 unidades habitacionais disponíveis para a população paulistana em julho deste ano.

A promessa de construir 25 mil unidades habitacionais foi citada por Covas ao lançar o programa Pode Entrar, em dezembro do ano passado. Procurada, a assessoria do prefeito afirmou que as 25 mil unidades habitacionais estão “prontas para ser entregues” e que, ao final da gestão, estarão viabilizadas 70 mil unidades.

Tudo o que sabemos sobre:

Bruno Covaseleições 2020

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.