Boato no WhatsApp exagera gastos do STF e inventa cargo de ‘auxiliar de cadeira’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Boato no WhatsApp exagera gastos do STF e inventa cargo de ‘auxiliar de cadeira’

Imagem em circulação nas redes sociais cita funcionários que não são empregados pelo Tribunal, como encanadores, engraxates, decoradores e cabeleireiros

Letícia Simionato, especial para o Estadão

05 de março de 2021 | 18h42

Atualizado em 08/03/2021 para incluir valor de contrato de jardinagem e manutenção do STF.

Circula nas redes sociais uma imagem que reúne dados falsos sobre gastos do Supremo Tribunal Federal (STF). Entre as informações erradas citadas na postagem, está a de que existem auxiliares responsáveis apenas por segurarem as cadeiras para os ministros sentarem. Leitores solicitaram a checagem deste conteúdo por meio do WhatsApp do Estadão Verifica, (11) 97683-7490.

O STF é alvo constante de boatos e ataques nas redes sociais. Para esta verificação, o Estadão Verifica consultou o Portal da Transparência e a assessoria de imprensa do Tribunal. Leia abaixo a checagem de cada um dos tópicos:

(STF gasta) 554 MILHÕES de reais de custeio” — FALSO

Não estão especificados no texto da imagem quais gastos estão incluídos em “custeio”. Segundo o Portal da Transparência do STF, em 2020, o total de despesas do Tribunal foi de R$ 628,8 milhões. A maior parte (R$ 222,1 milhões) foi destinada à folha de pagamentos. Em 2019, ano em que o conteúdo analisado começou a circular nas redes sociais, as despesas foram de R$ 585,6 milhões, com R$ 137,7 milhões reservados para remuneração de funcionários.

(STF tem) 2.450 funcionários”– FALSO

O STF informou ter 1.195 funcionários em efetivo exercício no Tribunal — considerando servidores, juízes e ministros. Além disso, outros 66 servidores foram cedidos ou trabalham provisoriamente em outros órgãos. Há ainda outros 639 postos de trabalho terceirizados, mas nem todos estão sempre preenchidos.

(STF tem) 19 jornalistas — SALÁRIO 20 MIL reais” — FALSO

Segundo o Portal da Transparência, há quatro níveis de cargo para jornalistas no STF: júnior (com remuneração de R$ 5.318,51); pleno (R$ 7.168,05); sênior (R$ 8.242,70) e master (R$ 10.286,88). Nenhum ganha R$ 20 mil. São 15 jornalistas empregados no total, representando gasto de R$ 103,5 mil por mês.

(STF tem) 223 vigilantes — Salário 8 MIL REAIS” — FALSO 

O STF informou empregar 173 vigilantes até o dia 1º de março. Destes, 110 trabalhavam no turno diurno e 63, no noturno. Todos têm salário de R$ 2.944,82.

(STF tem) 24 copeiros — salário 6,5 MIL REAIS” — FALSO

O Portal da Transparência lista 19 copeiros, terceirizados da empresa RCS Tecnologia Ltda. Todos somam gasto de R$ 44.073,16 por mês. O salário de cada um é de R$ 2.319,64, em média.

(STF tem) 27 garçons — salário 8 mil reais” — FALSO 

Há 20 postos de trabalho de garçom no STF, de acordo com o Portal da Transparência. O total pago à categoria por mês é de R$ 65.930,95. O salário mais alto é de R$ 4.222,18 e o menor, de R$ 3.247,83

(STF tem) 58 motoristas — salário 12 mil reais” — FALSO  

Há 21 motoristas em atuação, com salário de R$ 2.834,49, de acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal.

(STF tem) 12 auxiliares de desenvolvimento infantil — salário 25 mil reais” — FALSO

O Tribunal emprega 12 auxiliares de desenvolvimento infantil, da G&E Serviços Terceirizados LTDA. O gasto total com esses profissionais é de R$ 27.699,00 por mês. Os salários custam R$ 2.308,25, em média.

(STF tem) 8 auxiliares de saúde bucal — Salário 22 mil reais” – FALSO

Há três postos de trabalho de auxiliar em saúde bucal. O custo com esses profissionais é de R$ 4.585,92 por mês. Em média, os salários são de R$ 1.528,64.

(STF tem) 25 encanadores — SALÁRIO 11 MIL REAIS (…) 3 engraxates — salário 3,8 mil reais; 4 cabeleireiros — salário 5 mil reais; 1 decorador de interiores — salário 17 mil reais; 8 jardineiros — salários 7 mil reais” — FALSO 

Não há encanadores, engraxates, cabeleireiros, jardineiros ou decoradores de interiores listados no quadro de funcionários do STF. “O serviço de jardinagem é contemplado num contrato mais amplo, de manutenção do tribunal”, comunicou a assessoria de imprensa do órgão. O valor total dessa contratação é de R$ 4,8 milhões e incluiu “prestação de serviços de limpeza, higienização, desinfecção e conservação de bens móveis e imóveis, serviço de jardinagem, serviços sob demanda para limpeza de vidros e fachadas externas, e demais áreas sob a responsabilidade do STF”.

(STF tem) 11 auxiliares de cadeiras (seguram a cadeira para o ministro sentar)” — FALSO 

O Tribunal comunicou não existir essa função. “Os auxiliares de plenário, que auxiliam os ministros com eventuais necessidades durante a sessão, como localizar livros, por exemplo, são funcionários de cada gabinete e têm outras funções”, explicou o STF em nota. “Eles também são chamados de “capinhas”, pois eventualmente auxiliam os ministros a vestir a toga”.

Tudo o que sabemos sobre:

STF [Supremo Tribunal Federal]

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.