Boato distorce notícia sobre apreensão de dólares para relacionar Lula e Venezuela
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Boato distorce notícia sobre apreensão de dólares para relacionar Lula e Venezuela

Texto diz que caminhão com US$ 300 mil iria para capital venezuelana, mas veículo seguia para Paranaguá (PR); caso não tem relação com ex-presidente

Paulo Roberto Netto

02 de outubro de 2019 | 09h01

Textos e imagens publicados nas redes sociais distorcem notícia sobre apreensão de caminhão com dólares para afirmar que dinheiro tinha como destino a capital da Venezuela, Caracas, em nome do Instituto Lula. O veículo, na verdade, seguia para o Paraná e não há evidências  que apontem envolvimento do ex-presidente e do governo venezuelano.

Polícia Rodoviária Federal apreende US$ 300 mil dólares em compartimento oculto de caminhão. Foto: PRF / Divulgação

O caminhão em questão foi apreendido no dia 05 de setembro pela Polícia Rodoviária Federal na rodovia Régis Bittencourt em Campina Grande do Sul, na região metropolitana de Curitiba. O motorista estava nervoso no momento da apreensão, segundo a PRF, o que motivou a busca que localizou US$ 300 mil escondidos em um compartimento oculto.

O boato omite que, além do dinheiro, também foram localizados 326 quilos de cocaína distribuídos em 298 tabletes, tornando o caso relacionado ao tráfico de drogas.

De acordo com a PRF, o motorista informou que saiu de São Paulo com destino a Paranaguá (PR), no litoral do Estado. O órgão não cita o nome do Instituto Lula ou menciona o governo venezuelano na descrição da ocorrência.

Em nota, a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, responsável pelo caso, afirma que não comenta investigações em andamento e que um inquérito foi aberto para apurar a origem do dinheiro.

Argentina. Uma versão do mesmo boato circula nas redes sociais argentinas em meio à campanha presidencial daquele país. A peça de desinformação utiliza roupagem semelhante ao afirmar que os dólares estariam sendo destinados à campanha de Alberto Fernándéz, que tem como vice a ex-presidente Cristina Kischner.

O vídeo do boato argentino é, na verdade, o mesmo divulgado pela PRF sobre a operação. A gravação também tem sido utilizada para afirmar que o dinheiro foi apreendido no Paraguai em vez de no Brasil.

Caminho da verificação. Para verificar este boato, o Estadão Verifica consultou nota à imprensa divulgadas pela Polícia Rodoviária Federal sobre a apreensão de dólares, além de entrar em contato com o órgão e a Polícia Federal.

Este boato foi selecionado para verificação por meio de parceria entre o Estadão Verifica e o Facebook. O Boatos.org também desmentiu este conteúdo.

Tendências: