As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Anúncios de “cura” de covid-19 são falsos: evite compartilhar

Daniel Bramatti

28 de abril de 2020 | 22h36

Circulam no Instagram e no Facebook postagens que noticiam a descoberta, pela Rússia, de uma suposta “cura” da covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Os títulos trazem informação falsa, e os textos fazem menção a um tratamento que estaria sendo testado por autoridades médicas russas, e que envolve a substância mefloquina. Um dos posts foi feito pelo policial militar e youtuber bolsonarista Gabriel Monteiro, que tem 1,6 milhão de seguidores no Instagram.

Não existe cura conhecida para covid-19. Evite compartilhar conteúdos que dão falsas esperanças sobre a pandemia do novo coronavírus. Pessoas que agem com base na crença de que há tratamento eficaz podem ser menos cuidadosas e se expor mais a riscos. Dessa forma, podem causar danos a si próprias e às pessoas próximas. Uma dica: quando houver mesmo uma cura para covid-19, você vai encontrar essa notícia em todos os jornais, rádios e TV do planeta, e não em posts obscuros em redes sociais.

Este boato foi checado por aparecer entre os principais conteúdos suspeitos que circulam no Facebook. O Estadão Verifica tem acesso a uma lista de postagens potencialmente falsas e a dados sobre sua viralização em razão de uma parceria com a rede social. Quando nossas verificações constatam que uma informação é enganosa, o Facebook reduz o alcance de sua circulação. Usuários da rede social e administradores de páginas recebem notificações se tiverem publicado ou compartilhado postagens marcadas como falsas. Um aviso também é enviado a quem quiser postar um conteúdo que tiver sido sinalizado como inverídico anteriormente.

Um pré-requisito para participar da parceria com o Facebook  é obter certificação da International Fact Checking Network (IFCN), o que, no caso do Estadão Verifica, ocorreu em janeiro de 2019. A associação internacional de verificadores de fatos exige das entidades certificadas que assinem um código de princípios e assumam compromissos em cinco áreas:  apartidarismo e imparcialidade; transparência das fontes; transparência do financiamento e organização; transparência da metodologia; e política de correções aberta e honesta. O comprometimento com essas práticas promove mais equilíbrio e precisão no trabalho.

 

 

 

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: