Tucanos e petistas avaliam ficar sem candidatos ao governo de Minas Gerais

Tucanos e petistas avaliam ficar sem candidatos ao governo de Minas Gerais

Coluna do Estadão

11 de janeiro de 2022 | 05h00

O governador de Minas, Romeu Zema, e o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil. FOTOS: AMIRA HISSA/PBH E GIL LEONARDI/IMPRENSA MG

Segundo maior colégio eleitoral do País e sempre considerado um Estado capaz de definir o resultado da eleição presidencial, Minas Gerais pode ter uma surpreendente disputa pelo governo este ano: sem candidatos dos tradicionais PT e PSDB. Os tucanos avaliam apoiar a reeleição de Romeu Zema (Novo), enquanto o PT aguarda uma definição sobre o futuro do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD). Os cenários ainda estão indefinidos, mas são grandes as chances de ambos os partidos, que já ocuparam o Palácio da Liberdade por mais de um mandato, abrirem mão em prol das alianças. Os petistas, porém, já montam um “plano B” caso Kalil não leve adiante a ideia de disputar.

NOME NA RODA. Pouco antes do Natal do ano passado, integrantes das bancadas estadual e federal do PT lançaram Daniel Sucupira, prefeito de Teófilo Otoni, como pré-candidato ao governo de Minas, mesmo sem o apoio total da direção nacional do partido.

TÁ DEVAGAR. Há a percepção entre os mineiros de que a pré-candidatura de Kalil ainda está muito desestruturada para o início de um ano eleitoral. O entorno de Lula entende que o prefeito seria o nome ideal para “polarizar” com Zema e ajudar o petista em Minas.

QUEDA DE BRAÇO. A confusão criada pelo governo federal em torno do Refis do Simples Nacional está sendo apontada por operadores políticos como a primeira oportunidade de o Congresso dar uma demonstração de força neste ano eleitoral. A derrubada do veto ao Refis é dada como certa.

NAVALHADA. “A barbeiragem jurídica foi grande. Para resgatar o Refis, só com a promulgação. E isso acontecerá com a atuação do Congresso”, afirma Marco Bertaiolli (PSD-SP), da Frente Parlamentar do Empreendedorismo.

ELAS… Em uma pré-campanha até agora dominada pelos homens, Marta Suplicy resolveu puxar discussões sobre as questões de gênero no debate presidencial: convidou um grupo de mulheres para um debate em São Paulo, dia 28.

…POR ELAS. A ministra Cármen Lúcia (STF), a educadora Cláudia Costin e as advogadas Patricia Vanzolini (OAB) e Sheila de Carvalho (Coalizão Negra) devem participar do encontro. A intenção é levar o resultado dos debates aos pré-candidatos ao Planalto, incluindo, claro, Simone Tebet (MDB), a única mulher colocada até agora na disputa.

MISSÃO… Aginaldo Oliveira, comandante da Força Nacional de Segurança, recebeu missão direta de Bolsonaro: a de concorrer a uma vaga na Câmara dos Deputados neste ano, provavelmente pelo Ceará.

…DADA. Oliveira é casado com a deputada Carla Zambelli (PSL-SP) e teve o ex-juiz Sergio Moro como um dos seus padrinhos de casamento. Ainda sem filiação partidária, ele já começou a pré-campanha pelas suas redes sociais.

SINAIS PARTICULARES
Aginaldo Oliveira, comandante da Força Nacional

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES

PRONTO, FALEI!

Paulo Ganime. FOTO: LUIS MACEDO/CÂMARA DOS DEPUTADOS

Paulo Ganime, deputado federal (Novo-RJ): A disponibilização dos recursos para o Auxílio Brasil deveria ser feita por meio de corte de privilégios, fim dos fundos eleitoral e partidário, entre outras medidas.”

CLICK

FOTO: COLUNA DO ESTADÃO

João Campos, prefeito do Recife (PSB)
Namorada de Campos, Tabata Amaral (PSB-SP) mostrou os livros que o casal tem lido enquanto se recupera da covid-19, em quarentena.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E CAMILA TURTELLI. COLABOROU ELIANE CANTANHÊDE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.