Camila Turtelli/Estadão
Camila Turtelli/Estadão

Casamento de Carla Zambelli reúne Moro, Weintraub e Regina Duarte no altar

Em discurso, o ministro da Justiça e um dos padrinhos disse que a noiva merecia uma 'medalha por defender o País'

Camila Turtelli, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2020 | 20h18
Atualizado 19 de fevereiro de 2020 | 16h15

BRASÍLIA - Em um templo maçônico de Brasília, alguns dos principais ministros do governo de Jair Bolsonaro se reuniram na noite desta sexta-feira, 14, para celebrar o casamento da deputada Carla Zambelli (PSL-SP) com o coronel Aginaldo de Oliveira, diretor da Força Nacional de Segurança. A noiva entrou ao som do famoso tango Por Una Cabeza, de Carlos Gardel, que marcou uma das principais cenas do filme Perfume de Mulher.

Com pompa, circunstância, ritos militares e da maçonaria, a parlamentar bolsonarista – conhecida por comprar briga no plenário em defesa do presidente – teve como padrinhos os ministros da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e o da Educação, Abraham Weintraub, acompanhados de suas respectivas mulheres, Rosângela e Daniela. 

Na festa, Moro chamou a noiva  de “guerreira” e disse que ela merecia uma “medalha” por defender o País. “Não é todo mundo que sai na rua com coragem para protestar, para manifestar pelo bem do País. Eu, sinceramente, não sei se teria esse tipo de coragem”, discursou ele, com microfone em punho. Ao lado do marido, a deputada não escondeu a emoção. “Desejo ao casal toda a felicidade do mundo. Que sejam felizes para sempre”, afirmou o ministro. Logo depois, Moro e Rosângela dançaram La Vie Em Rose junto com Carla e Aginaldo.

Os convidados ilustres chegaram com bastante antecedência e fizeram uma roda para conversar amenidades. Na lista dos 12 casais de padrinhos no altar estavam, ainda, a atriz Regina Duarte, que aceitou convite para ser secretária de Cultura, mas ainda não tomou posse. Seu par era Nabhan Garcia (Assuntos Fundiários).

Todos queriam cumprimentar os homens do primeiro escalão de Bolsonaro. A primeira-dama Michelle Bolsonaro chegou sozinha, depois de todos os convidados estarem sentados. Sorridente, Michelle se dirigiu a passos largos ao lugar reservado a ela nas primeiras fileiras. Bolsonaro ainda estava retornando de uma viagem ao Pará quando o casamento começou. O presidente já está em Brasília.

Deputados bolsonaristas que, ao lado de Carla Zambelli, trabalham pela criação do partido Aliança pelo Brasil, como Major Vitor Hugo (PSL-GO), Coronel Armando (PSL-SC) e Bia Kicis (PSL-DF), também marcaram presença. Logo depois da entrada da noiva, houve um momento nacionalista. Os convidados mostraram sua destreza vocal e cantaram à capela (sem acompanhamento de instrumentos) o Hino Nacional para a entrada da bandeira do Brasil.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.