Renan sobre Flávio Bolsonaro: “O moço sequer tomou posse”

Renan sobre Flávio Bolsonaro: “O moço sequer tomou posse”

Coluna do Estadão

10 de dezembro de 2018 | 16h48

Foto: Dida Sampaio/Estadão

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse hoje que “não articula julgar ninguém” ao comentar nota da Coluna do Estadão que revelou movimentação de seus aliados para barrar as articulações do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL) em torno da disputa pela presidência do Senado. A articulação inclui ameaças de levar Flávio, quando assumir o mandato em fevereiro, ao Conselho de Ética para que responda por suas relações com um ex-assessor que, segundo o COF, teve movimentação atípica em conta bancária. E ocorre depois de Flávio se posicionar contra a candidatura de Renan ao comando do Senado.

Por meio da assessoria, Renan se referiu ao filho do presidente eleito, Jair Bolsonaro como “o moço”. “Não é verdade a informação que o portal me atribui. Não articulo julgar ninguém. O moço sequer tomou posse e parece vir para o Senado com muita vontade. Não é essa a prioridade da Casa e jamais foi esse o meu papel. Nunca pretendi ser juiz de ninguém, tampouco condenar ou conceder indulgência”, disse o senador.

Ao contrário do que disse Calheiros, a Coluna não atribuiu a ele a articulação, mas aos seus interlocutores. A Coluna mantém as informações publicadas.

LEIA MAIS: Aliados de Renan ameaçam levar Flávio Bolsonaro a Conselho de Ética