Presidente sente efeito de minimizar a covid-19

Presidente sente efeito de minimizar a covid-19

Coluna do Estadão

10 de maio de 2020 | 05h00

Foto: Marcos Corrêa / PR

Quase dois meses após o início das medidas de isolamento social no Brasil, Jair Bolsonaro sente os impactos de sua insistente postura em minimizar a covid-19. Como mostrou em primeira mão a Coluna, até aliados do presidente acharam de péssimo tom o churrasco anunciado (e, por causa disso, depois cancelado) para o final de semana em que o Brasil completou a fúnebre marca de dez mil mortos. Por essas e outras, a maioria dos brasileiros prefere seguir o que dizem os governadores. É o que indica pesquisa inédita feita a pedido da Coluna.

Em quem acreditar? As recomendações dos governadores, em sua maioria pelo isolamento social como medida eficaz de combate à covid-19, têm mais influência no comportamento dos brasileiros do que o discurso de Jair Bolsonaro pela flexibilização das quarentenas e retomada da atividade econômica.

Nos governos. Pesquisa do Instituto Travessia indica que 65% dos entrevistados preferem seguir orientações dos seus governadores. O presidente convence só 18%, porcentual colado ao dos que disseram não seguir orientação de nenhum dos dois, 17%.

SINAIS PARTICULARES.
Jair Bolsonaro, presidente da República

Ilustração: Kleber Sales

Quem? A pesquisa também apontou que, após 22 dias à frente do Ministério da Saúde, Nelson Teich ainda é desconhecido por quase um terço da população. Dos entrevistados, 28% não sabem avaliar o trabalho dele na pasta. Um terço (33%) aprova o ministro e 39% o desaprovam.

Não agradou. Na comparação com seu antecessor na Saúde, o resultado é ruim para Teich. Dos entrevistados, metade respondeu que o resultado do trabalho dele é pior do que o de Henrique Mandetta.

Dados. Para 31% dos entrevistados, Nelson Teich faz um trabalho melhor e 19% avaliaram que o desempenho de ambos é igual.

Metodologia. A pesquisa foi realizada por telefone na sexta-feira (8) e foram entrevistadas 1003 pessoas: 42% no Sudeste, 28% no Nordeste, 15% no Sul e 15% do Norte e Centro-Oeste. A margem de erro do levantamento é de três pontos porcentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Cri, cri… As sugestões de se implementar fila única para leitos privados e públicos estão paradas no Ministério da Saúde. A tendência é que continuem assim mesmo, sem serem acatadas.

CLICK. Mandetta visitou Rodrigo Maia depois de temporada quieto em fazenda. Segundo Maia, o diálogo com o ex-ministro ajuda a definir sua atuação na Câmara.

Reprodução/Instagram

Bom trabalho. O Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia), da Justiça, bateu recorde histórico em abril, com a apreensão de 55 toneladas de drogas nas fronteiras brasileiras, um aumento de 300% em relação ao mês anterior, quando foram apreendidas 13 toneladas.

Bom trabalho 2. A pasta atribuiu o resultado a um aumento do efetivo de agentes nas fronteiras e à parceria com outros órgãos.

À distância. O PSDB-Mulher lançou sua pré-campanha virtual. A partir de agora, disponibilizará, em parceria com a Fundação Konrad Adenauer, cursos online para pré-candidatas a prefeita, vice e vereadoras.

À distância 2. Com o mote “a tecnologia como ferramenta da democracia”, a ideia do PSDB-Mulher é garantir capacitação para as cerca de 10 mil tucanas que deverão participar da disputa eleitoral deste ano.

PRONTO, FALEI!

Foto: Reprodução

Janaina Lima, vereadora de São Paulo (Novo): “Quem precisa trabalhar terá o transporte público como única opção. Isso sem contar os problemas de abastecimento”, sobre o rodízio em São Paulo.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.