Petistas avaliam que PSB perdeu ‘timing’ na conversa sobre alianças estaduais

Petistas avaliam que PSB perdeu ‘timing’ na conversa sobre alianças estaduais

Coluna do Estadão

13 de janeiro de 2022 | 05h00

Carlos Siqueira, presidente do PSB. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Interlocutores de Lula avaliam que, diferentemente dos cenários de eleições anteriores, o timing para a costura de alianças voltou a jogar a favor do PT neste 2022: ou seja, a pressão por acordos cresce a cada dia (e a cada nova pesquisa) sobre os eventuais aliados do ex-presidente, especialmente o PSB. Na visão desses interlocutores, o calendário virou mostrando a consolidação de pré-candidaturas petistas com chances de vitória em Pernambuco, Rio Grande do Sul, Espírito Santo e São Paulo, onde o PSB gostaria de ter a primazia na escolha dos candidatos a governador em caso de aliança. Em linhas gerais, há um sentimento de que Carlos Siqueira, presidente do PSB, vem desperdiçando oportunidades.

TEM JOGO. Apenas no Rio de Janeiro o PT admite de antemão não ter uma candidatura própria ao governo: quer apoiar Marcelo Freixo (PSB), que daria forte palanque a Lula.

JOGO PESADO. Nos demais Estados em disputa, o planejamento indica que os petistas Marília Arraes, Humberto Costa (ambos em Pernambuco), Fernando Haddad (São Paulo), Fabiano Contarato (Espírito Santo) e Edegar Pretto (Rio Grande do Sul) podem dar conta do recado sem o PSB.

BOLA SUA. Preocupados com a reeleição, deputados federais e estaduais do PSB de todo o País querem que Siqueira acelere a conversa com o PT.

PASSAPORTE. João Doria (PSDB) exigiu teste na reunião do secretariado da segunda-feira, 10. Resultado: dos 119 participantes, 11 testaram positivo.

SINAL DE… Quem leu com muita atenção a mais recente pesquisa Genial/Quaest percebeu que a avaliação negativa de Jair Bolsonaro está aumentando entre as classes mais altas.

…ALERTA… No segmento dos entrevistados que responderam ter renda mensal maior do que cinco salários mínimos, a porcentagem dos que consideram o governo do presidente negativo para o País subiu de 44% para 52%.

…PARA… Entre os que têm mais escolaridade, a reprovação foi de 49% para 54%.

…BOLSONARO. Apesar das ressalvas de que serão necessárias novas pesquisas para confirmar a tendência e de que no corte de segmentos a margem de erro sobe, esses resultados indicam que Bolsonaro pode estar perdendo apoios em um eleitorado fiel a ele.

VOX. Bolsonaro foi provocar Flávio Dino (PSB) com um comentário preconceituoso e ouviu do governador aquilo que já está grudando na boca do povo, para além do mundo das pesquisas: um sonoro “vai trabalhar, vagabundo!”

…POPULI. Pudera, segundo essa pesquisa Genial/Quaest, 80% dos entrevistados desaprovam a  forma como Jair Bolsonaro está lidando com a inflação; 63% acham que ele não combate o desemprego.

SINAIS PARTICULARES
Flávio Dino, governador do Maranhão

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES

PRONTO, FALEI!

Heni Ozi Cukier. FOTO: TV ESTADÃO

Heni Ozi Cukier, deputado estadual (Novo-SP): “É incrível como o PT ignora completamente 2015 e 2016. Só acredita que Lula é a solução para o futuro quem se esqueceu ou tenta apagar o passado.”

CLICK

Floriano Pesaro, ex-secretário estadual de SP
Tucano esteve com o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) em São Paulo: “Uma das maiores referências da política brasileira”, disse Pesaro.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG. COLABOROU ELIANE CANTANHÊDE

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.