Líderes, agora, temem sociedade em fracasso

Líderes, agora, temem sociedade em fracasso

Coluna do Estadão

13 de março de 2020 | 05h00

FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Um dia após o Congresso ter espetado um gasto de R$ 20 bilhões no governo, parlamentares mais exaltados do Centrão e de fora dele foram chamados à razão por líderes experientes das duas Casas, entre eles Rodrigo Maia: a gravidade da crise é tamanha que não há espaço para vendetas e projetos pessoais ou partidários, sob pena de o Legislativo entrar para a história como sócio majoritário de um eventual fracasso de Jair Bolsonaro. Com ou sem manifestação domingo, a relação com o presidente está deteriorada, mas não pode destruir o País.

Novos… O que mais preocupa líderes graúdos do Congresso neste momento é um possível desgaste de Paulo Guedes, até aqui o grande agente de transformação dentro do governo.

…canais. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, porém, intensificou diálogos com outros nomes da área econômica, como Roberto Campos Neto.

SINAIS PARTICULARES
Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara dos Deputados

Ilustração: Kleber Sales

Fera ferida. Quem estava perto de Guedes quando ele foi avisado da derrubada do veto do BPC (o espeto de R$ 20 bilhões) afirma ter ficado impressionado com a explosão de fúria do ministro da Economia.

Césio. Na sessão da derrubada do veto presidencial que limitava o alcance do pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC), o governo Bolsonaro teve a mesma quantidade de votos que Dilma Rousseff na análise do impeachment na Câmara: 137.

Stop. Por ora, o Centrão topou dar uma pausa em qualquer pauta-bomba. Topa votar só o Orçamento.

Não vai… A ideia lançada por Guedes de destinar R$ 10 bilhões das emendas de relator do Orçamento para um fundo de reserva para atender às demandas decorrentes da crise do coronavírus não deve prosperar.

…rolar. Parlamentares ligados ao Orçamento dizem que não há como destinar o recurso para um fundo que não está previsto na peça orçamentária. Reclamam ainda que o ministro não explicou a engenhoca.

CLICK. O MDB fará uma campanha de filiação no dia 16 com uma série de vídeos em defesa da democracia. Uma das peças destaca o recém-filiado José Luiz Datena. Leia mais aqui.

Divulgação

A ver. O governo acredita que caminha para um acordo no Orçamento. Avalia que a crise do coronavírus vai serenar ânimos.

Libera… O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ligou para o embaixador da China, Yang Wanming, e pediu a retomada da venda de máscaras do país asiático ao Brasil.

…pra gente. A China é um dos maiores fornecedores de material médico do mundo e, com o aumento da demanda interna, as exportações foram banidas. Devido à boa relação comercial entre os dois países, a Saúde está confiante.

Logo ali. A ideia é, possivelmente, fazer a compra de mais 25 milhões de máscaras chinesas. A última leva só foi possível, segundo interlocutores do ministério, porque o carregamento chinês estava em um navio já a caminho de um hub.

Calma. Por ora, ressaltam esses interlocutores, apesar de haver falta em farmácias, não há risco real de o Brasil ficar desfalcado do precioso material.

Preventivo. Mandetta deve conversar com o presidente do STF, Dias Toffoli, na segunda-feira para tratar dos cuidados essenciais no combate ao coronavírus. Na Corte, todos os ministros têm mais de 50 anos.

PRONTO, FALEI!

Simone Tebet

Foto: Dida Sampaio/ Estadão

Simone Tebet, senadora (MDB-MS): “O coronavírus aportou no Brasil e vai se multiplicar. O pânico não é nunca bom conselheiro. A prevenção, sim. Melhor seguir os rastros oficiais do Ministério da Saúde, e buscar informação na imprensa”.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU ELIANE CANTANHEDE.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: