Justiça pede explicações a presidente da Palmares por exclusão de personalidades negras

Justiça pede explicações a presidente da Palmares por exclusão de personalidades negras

Mariana Haubert

02 de dezembro de 2020 | 19h04

Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares. Foto: Gabriela Biló/Estadão

A Justiça Federal da 1ª Região deu cinco dias para que o presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, explique a retirada de nomes da lista de Personalidades Negras que integravam um rol de homenageados pela entidade. 

Camargo divulgou nesta quarta-feira, 2, a exclusão de 29 pessoas, dentre elas, Conceição Evaristo, Elza Soares e Marina Silva. O pedido de explicação faz parte de ação movida pelo advogado Marivaldo Pereira em conjunto com a Rede Liberdade em que pedem a nulidade do ato que permitiu a remoção. 

Em novembro, Camargo alterou as regras para que haja somente homenagens póstumas. Como a Coluna mostrou, em nota técnica que acompanhou portaria sobre o tema, a fundação argumentou que só haveria homenagens póstumas na lista porque “biografias encontram-se em construção”. “Posteriormente (as personalidades vivas), podem ser condenadas na Justiça, renegar seu passado, ter se passado por herói sem sê-lo.”

Tudo o que sabemos sobre:

Fundação Palmares

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.