Em ‘paz’ com Bolsonaro, Maia sai do alvo das redes

Em ‘paz’ com Bolsonaro, Maia sai do alvo das redes

Coluna do Estadão

22 de maio de 2020 | 05h00

Foto: Marcos Corrêa/PR

O “armistício” entre Jair Bolsonaro e Rodrigo Maia (DEM-RJ), firmado há pouco mais de um mês, passou por um pacto de não agressão nas redes sociais. Depois de uma avalanche de pedidos por “Fora, Maia” em 17 de abril, chegando a 1,6 milhão de tuítes, agora somam pouco mais de mil, segundo levantamento da Consultoria Bites. O DEM, também muito atacado por bolsonaristas, passou despercebido no último mês. A interrupção dos ataques trouxe alívio para membros da sigla, em especial porque há eleições municipais neste ano.

Ufa. A reaproximação cautelosa ficou simbolicamente caracterizada na reunião do Planalto com governadores. Bolsonaro estava entre Davi Alcolumbre (DEM-AP) e Maia: os dois com máscara, o presidente, sem.

Opa. O presidente do Senado numa escala menor, também foi alvo de ataques bolsonaristas: “Fora, Alcolumbre” atingiu 171 mil tuítes no ápice da briga, caindo para 190 ontem.

Ata. A recondução de José Carlos Aleluia (DEM-BA) a conselheiro de Itaipu, segundo membros da sigla, ocorreu por influência familiar. Seu filho é vereador na Bahia e criador do Aliança Pelo Brasil no Estado.

CLICK. Ao responder nas redes se gosta de Harry Potter, Marina Silva lembrou de seu correligionário Randolfe Rodrigues (Rede) e disse: “Sou amiga do sósia dele”.

Foto: Reprodução/Instagram

Campo… O Ministério do Desenvolvimento Regional enviou uma proposta ao Conselho Monetário Nacional para a criação de uma linha emergencial de crédito para agricultores familiares durante a pandemia.

…fértil. Os recursos sairão dos Fundos Constitucionais de Financiamento do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste. As linhas devem oferecer crédito de até R$ 5 mil destinado a custeio ou investimentos.

Ajuda. O pedido para o auxílio foi feito pela Agricultura, que calcula atender cerca de 23 mil beneficiários com o total de R$ 52,3 milhões em créditos.

Sem… Quando ainda se discutia a cloroquina, a Saúde chegou a propor a Bolsonaro outros remédios, sob argumento de que era melhor usar algo com menos efeitos colaterais.

…chance. Uma das sugestões foi a Ivermectina, usada especialmente no gado. O presidente vetou a ideia.

SINAIS PARTICULARES.
Jair Bolsonaro, presidente da República

Ilustração: Kleber Sales

Exemplo… Um estudo do TSE, feito a pedido do futuro presidente Luís Roberto Barroso, mostrou que em 55 países houve o adiamento de eleições, referendos ou prévias, entre fevereiro e o começo de maio.

…pode vir… O levantamento, antecipado pela Coluna, revelou que 22 nações mantiveram a disputa, mesmo com a pandemia, como é o caso da Coreia do Sul.

…de fora. Entre as medidas que o país adotou, o texto destaca a proibição de comícios. Mas diz ainda que, na ocasião, a curva do asiático era descendente, o que pode não ser o caso do Brasil em outubro. Leia mais aqui.

Deixa… Partidos que outrora apoiavam a ideia de uma CPI para investigar denúncias de intervenção de Bolsonaro na Polícia Federal querem agora esperar o ministro do STF Celso de Mello finalizar o inquérito.

…com ele. Avaliam que as chances de as investigações na Corte terminarem antes da instalação de uma CPI são altas. Querem ver o que restará para analisar.

BOMBOU NAS REDES!

Deputada Joice Hasselmann. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Joice Hasselmann, deputada federal (PSL-SP): “Parabéns aos ministros do STF. Ninguém está acima da lei! Perfeita a inclusão de “erro grosseiro, medidas que ignoram normas e critérios técnicos”. Gestor público tem que responder pelos seus atos”, sobre decisão do Supremo de restringir MP do ‘salvo-conduto’.

COM REPORTAGEM DE MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA (O EDITOR ALBERTO BOMBIG ESTÁ EM FÉRIAS)

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.