Diálogo da esquerda com Baleia Rossi evolui; falta convencer Maia

Diálogo da esquerda com Baleia Rossi evolui; falta convencer Maia

Coluna do Estadão

16 de dezembro de 2020 | 05h20

Foto: Gabriela Biló / Estadão

O discreto deputado Baleia Rossi (MDB-SP) continua amealhando simpatias na esquerda para sua possível candidatura à Presidência da Câmara no grupo de Rodrigo Maia (DEM-RJ), muito por conta de seu pai, Wagner Rossi, que sempre manteve bom diálogo com Lula e Dilma Rousseff. A rejeição da bancada de esquerda ao nome do Baleia Rossi está muito perto de ser superada. Mas ainda falta o aval de Maia (DEM-RJ) para que a candidatura do medebista se consolide.

O PT avalia ter conseguido conter o ímpeto do grupo de deputados que ensaiou apoio a Arthur Lira (PP-AL). Por ora, outros partidos de esquerda também obtiveram êxito nesse sentido, sob o argumento de que Lira é “tóxico” porque está com Jair Bolsonaro. Ah, nem os petistas mais apaixonados acreditam que exista clima na sociedade para rever a Lei da Ficha Limpa, como teria prometido Lira.

“Nós (grupo do Rodrigo Maia) estamos projetando um bloco que pode chegar a 280 deputados, com a participação da oposição”, disse à Coluna Efraim Filho, líder do DEM (PB). Ele, aliás, deve continuar à frente da liderança do partido em 2021. Com essa configuração, das seis vagas na Mesa Diretora, o bloco de Arthur Lira (PP-AL) teria direito a duas.

LEIA TAMBÉM NA COLUNA DE HOJE: Emissário de Pazuello tenta ‘paz’ com Butantã

Voto de Carmen Lúcia dá esperanças a Lula

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.