De luto, Senado define futuro da CPI da Covid-19

De luto, Senado define futuro da CPI da Covid-19

Coluna do Estadão

22 de fevereiro de 2021 | 05h00

Senador Eduardo Braga. FOTO: MARCOS OLIVEIRA/AG. SENADO

O Palácio do Planalto promete procurar todos os senadores governistas que assinaram o pedido de criação da CPI da Covid-19. Não será fácil, porém, evitar a instalação da comissão: para além dos erros e omissões do Ministério da Saúde e da irresponsabilidade Jair Bolsonaro perante a pandemia, a crise do coronavírus virou um drama pessoal para muitos dos senadores. “Lamentavelmente, não perdi um amigo, mas vários. Meu Amazonas está passando um momento muito difícil. Em 39 anos de vida pública, nunca vi algo parecido”, afirma Eduardo Braga.

Jogo… “O governo não vai conseguir tirar assinaturas para a criação da CPI, está muito difícil”, afirma Braga (AM), líder do MDB. “CPI é instrumento de pressão para fazer as coisas andarem, precisamos encontrar respostas”, diz ele.

…duro. Braga se emocionou na última reunião de líderes ao relatar a perda de inúmeros amigos em Manaus, capital que registra índices ruins no enfrentamento da doença.

Luto. Outros senadores relatam dramas pessoais. A mãe de Jayme Campos (DEM-MT) foi uma das vítimas. No início deste mês, morreu o senador José Maranhão (MDB-PB).

Last… Além do contato direto com os senadores, o governo federal aposta na “comissão temporária de monitoramento das ações contra a covid-19”, que deverá ser instalada ainda nesta semana no Senado, para tentar esfriar a CPI.

…chance. O líder do governo Fernando Bezerra (MDB-PE) pede: esperem uns dez dias para avaliar o andamento dos trabalhos da comissão de acompanhamento para, só então, decidir pela abertura da CPI.

Diferente. Essa comissão, no entanto, tem como objetivo principal monitorar a vacinação contra a covid-19 no País, sem poder de quebrar sigilos, por exemplo. O próprio autor do requerimento que criou a comissão, Braga, avalia que a CPI tem outra finalidade.

Maratonista. Um dos principais nomes dos combate à covid-19 em São Paulo, João Gabbardo tem mantido na rotina o hábito de correr dez quilômetros por dia, sempre com máscara.

SINAIS PARTICULARES
João Gabbardo, coordenador executivo do Centro de Contingência da Covid-19 de São Paulo

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Siga… Acompanhando a linha do “chefe” Jair Bolsonaro, a maioria dos servidores do Palácio do Planalto (64%) diagnosticados com coronavírus até o momento fez uso do chamado “tratamento precoce”.

…o líder. Segundo dados obtidos via Lei de Acesso à Informação, dos 432 servidores que contraíram a covid-19, 278 fizeram uso dos remédios defendidos por Bolsonaro, mas que não têm eficácia comprovada: ivermectina, hidroxicloroquina, azitromicina.

Registro. Nota do Planalto: os médicos têm autonomia para prescrever os tratamentos; não houve registro de óbitos e só duas internações hospitalares.

CLICK. Manifestantes protestam contra Jair Bolsonaro, em Brasília. Também com carreata, o grupo pediu agilidade na vacinação e o impeachment do presidente.

FOTO: UESLEI MARCELINO/REUTERS

Linha… A vereadora Cris Monteiro (Novo) será vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esportes da Câmara Municipal de São Paulo.

…de frente. “Educação é o fator gerador de crescimento econômico e redução das desigualdades e da violência. Também tenho lutado por uma frente parlamentar do tema”, diz ela.

PRONTO, FALEI

Roberto Freire. FOTO: ALEX SILVA/ESTADÃO

Roberto Freire, presidente do Cidadania: “O ministro Paulo Guedes fala como um analista e não como um ministro que pode liderar a mudança que ele, como cronista, deseja. É um falastrão.”

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG, MARIANA HAUBERT E MARIANNA HOLANDA. COLABORARAM MATEUS VARGAS E PEDRO VENCESLAU

Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.