Ataques contra Joice dão novo fôlego à CPI

AO VIVO

Eleições: 2020: notícias, resultados e apuração do 2° turno

Ataques contra Joice dão novo fôlego à CPI

Coluna do Estadão

06 de fevereiro de 2020 | 05h00

Deputada Joice Hasselmann. FOTO: DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Na volta aos trabalhos, a CPI mista das Fake News está no encalço de perfis que criam e propagam notícias falsas ou injuriosas. A comissão aprovou requerimentos da quebra de sigilo de contas levantadas em perícia contratada por Joice Hasselmann, à qual a Coluna teve acesso. Pedem informações às empresas sobre os autores. São prints de perfis em redes sociais: militantes do Movimento Conservador em SP, apoiadores do Aliança pelo Brasil, entre outros. A CPI avalia ter dado um passo importante para descobrir os verdadeiros donos das contas.

Documento. O relatório da perícia contratada pela deputada federal do PSL-SP tem 157 páginas e sugere a quebra do sigilo dos autores dos ataques contra ela.

Minoria. Dos requerimentos aprovados ontem, 17 são de quatro parlamentares: dos deputados Alexandre Frota (PSDB-SP), Túlio Gadelha (PDT-PE), Rui Falcão (PT-SP) e do senador e presidente do colegiado, Ângelo Coronel (PSD-BA). Três são da governista Caroline de Toni (PSL-SC).

Reforço. A CPI vai ainda solicitar à PF a cessão de mais três agentes para ajudar nas investigações do colegiado. Hoje só há um.

CLICK. O deputado estadual Arthur do Val (à dir.), militante do MBL, se filiou ontem ao Patriota para disputar a Prefeitura de São Paulo. O partido quase abrigou Jair Bolsonaro em 2018.

FOTO: COLUNA DO ESTADÃO

Ops. Mais um desdobramento da demissão de Giacomo Trento na Casa Civil: mal-estar no Senado. O ex-secretário estava tão próximo de Davi Alcolumbre que era chamado por interlocutores de “assessor” dele.

Sem pressa. Juíza Selma (Podemos-MT) ganhou mais uma sobrevida no Senado. A cassação dela viria na reunião da Mesa Diretora, cuja previsão inicial era para a próxima semana, mas Alcolumbre decidiu convocar duas reuniões.

Climão. A ideia é notificá-la e conceder mais dez dias para a defesa. Diluir o processo em dois encontros. Alcolumbre não quer que a primeira reunião da Mesa de sua gestão seja para cassar uma adversária.

Missão dada. O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, completou 66 anos anteontem entre papéis e problemas. O general passou o dia resolvendo os pepinos do resgate dos brasileiros na China. Nem sequer teve tempo para um bolinho com a sua equipe.

SINAIS PARTICULARES 
Fernando Azevedo e Silva, ministro da Defesa

ILUSTRAÇÃO: KLEBER SALES/ESTADÃO

Faria limer. Após encontro com Paulo Guedes, o vice-presidente da AT&T, Karim Lesina, comentou com interlocutores na Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que ficou bem impressionado com o ministro. Disse que ele é um liberal com a missão de modernizar o Estado.

Pera lá. Conforme o Estado revelou, a Anatel deve aprovar hoje a compra da produtora de conteúdo Warner Media pela operadora AT&T. Há uma chance, contudo, de o conselheiro Emmanoel Campelo pedir vista e atrasar a discussão.

Pente-fino. A Secretaria Municipal de Educação de São Paulo descredenciou neste ano 58 creches de sua rede conveniada após ter encontrado irregularidades na gestão dos espaços. Elas já foram substituídas. Foram 105 no ano passado.

Contra fraudes. O modelo adotado pela Educação do município para a compra de uniformes escolares será estendido. Os pais receberão um cartão para a aquisição também do material escolar. “Mais poder para as famílias”, diz o secretario Bruno Caetano.

PRONTO, FALEI!

Deputado Flávio Nogueira. FOTO: AG. CÂMARA

Flávio Nogueira, deputado federal (PDT-PI): “Na guerra fiscal entre os governadores e Bolsonaro, que tal pedir ao Paulo Guedes para zerar o Imposto de Renda?”, sobre declaração do presidente sobre o ICMS.

COM REPORTAGEM DE ALBERTO BOMBIG E MARIANNA HOLANDA. COLABOROU PEDRO VENCESLAU

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.