Aloysio Nunes diz que expulsão de Goldman é inaceitável

Aloysio Nunes diz que expulsão de Goldman é inaceitável

Andreza Matais

09 Outubro 2018 | 12h44

Foto: André Dusek/Estadão

A decisão do diretório municipal do PSDB de São Paulo de expulsar quadros da sigla como o ex-governador Alberto Goldman deve pautar boa parte da reunião da executiva nacional da sigla nesta terça-feira. É a primeira após a derrota de Geraldo alckmin na eleição presidencial e de vários candidatos do partido na eleição proporcional.

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, comentou hoje as expulsões que atingiram 16 tucanos em SP, como revelou ontem a Coluna. Senador por São Paulo, o ministro não tentou se reeleger e é o único tucano ainda com cargo no primeiro escalão do governo Temer.

LEIA MAIS: Por traição, diretório do PSDB expulsa Goldman, Saulo e mais 15

“Se o PSDB resolver expulsar Alberto Goldman que aproveite para tirar o SD da sigla: não mereceria o nome de Social Democrático (SD). Nessa hora de redefinição a presença de Goldman é imprescindível”, disse à Coluna.

A executiva nacional divulgou nota na qual diz que o diretório municipal não tem poderes para expulsar Goldman da sigla porque ele é dirigente nacional. Já o comando do diretório municipal diz que não vai rever sua decisão. Goldman foi expulso por fazer campanha para Márcio França (PSB) adversário de João Doria (PSDB) na disputa pelo governo paulista. (Andreza Matais)