PSDB nacional diz que diretório municipal não pode expulsar Goldman e Saulo

Ex-governador Alberto Goldman e secretário Saulo de Castro Abreu foram expulsos por terem supostamente apoiado adversários de João Doria

Marcelo Osakabe, O Estado de S.Paulo

08 Outubro 2018 | 22h08

A executiva nacional do PSDB emitiu um breve comentário sobre a decisão do diretório municipal do partido em São Paulo de expulsar o ex-governador Alberto Goldman e o secretário Saulo de Castro Abreu do partido. Segundo a nota, o diretório municipal não tem competência para expulsar os dois, uma vez que ambos são membros, respectivamente, dos diretórios nacional e estadual do partido. "A decisão é arbitrária e inócua", diz a nota, enviada pela assessoria de imprensa do PSDB nacional.

Nesta segunda-feira, 8, o diretório municipal do PSDB, decidiu expulsar o Goldman e Saulo por terem supostamente apoiado adversários de João Doria na disputa pelo governo do Estado. Goldman usou um adesivo de Paulo Skaf (MDB) no debate do primeiro turno da TV Globo, enquanto Saulo foi expulso por ter levado no domingoo governador Márcio França (PSB) a uma reunião com Geraldo Alckmin, presidente nacional do partido e candidato ao Planalto.

Além dos dois, outros quinze membros foram expulsos supostamente por terem feito propaganda para Jair Bolsonaro (PSL). Goldman e Saulo são desafetos de Doria. Questionado sobre de que ala do PSDB teria partido a decisão de expulsá-lo, o ex-governador, que soube pela imprensa do caso, reagiu com ironia: "dá para adivinhar, não é?". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.