Ala do PSDB quer apoio a Bolsonaro contra PT

Ala do PSDB quer apoio a Bolsonaro contra PT

Coluna do Estadão

05 Novembro 2018 | 05h30

Foto: Igor Estrela/Estadão

Cresce no PSDB o número de dirigentes partidários que defendem uma definição assertiva com relação ao governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro. Esses tucanos avaliam que a conhecida posição em cima do muro do partido resultou na derrota nas disputas deste ano e que o caminho para reconquistar o eleitor é ter um lado. Calculam que hoje há mais votos no PSDB favoráveis a declarar apoio a Bolsonaro do que a optar pela oposição. O grupo justifica que o partido precisa avalizar um projeto que não permita a volta do PT ao poder.

Porta-voz. A ala pró-Bolsonaro se reúne em torno de João Doria, eleito governador de São Paulo, após associar sua imagem à do deputado federal do PSL. O grupo o pressiona para que ele levante a discussão.

Saldo. Doria é um dos poucos membros da executiva nacional do PSDB que foi eleito. Dos 25 titulares, 17 não têm mandato ou saíram derrotados das urnas. A conta inclui o presidente, Geraldo Alckmin, e seis vice-presidentes.

Segurança jurídica. Criminalistas esperam que Sérgio Moro, à frente da superpasta da Justiça, “organize a confusão” em torno dos acordos de leniência, já que agora deverá ter a CGU sob o seu controle. Hoje há disputa entre órgãos.

Deixa… Paulo Marinho colocou panos quentes na faísca produzida por Carlos Bolsonaro, filho do presidente eleito. Carlos foi ao Twitter criticar uma reportagem da Veja que entrevistou André Marinho, filho do empresário. “Vida que segue”, desconversou Paulo.

…para lá. André contou à revista como funcionou o QG da campanha, instalado na casa do seu pai, apelidado por ele de “máquina de moer petistas”.

Manobra. A revogação da PEC da Bengala, defendida por aliados de Bolsonaro, abriria três vagas no TCU, além de quatro no STF. Raimundo Carreiro, Ana Arraes e José Múcio já completaram 70 anos. A emenda lhes garante ficar na Corte de Contas até 75.

Vem comigo. O PT não planeja lançar candidato ao comando da Câmara. Rodrigo Maia (DEM) busca o apoio da sigla à reeleição.

SINAIS PARTICULARES. Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados, por Kleber Sales

The flash. O general Juarez Cunha já definiu prioridades para sua gestão de menos de dois meses nos Correios: enxugar a estrutura da empresa, extinguir seis dos oito cargos de vice-presidente e sanear irregularidades no Postalis. A mudança no comando dos Correios foi antecipada pelo blog da Coluna do Estadão.

Laços. Juarez Cunha conhece Bolsonaro há 40 anos e foi instrutor do presidente eleito na Escola Superior de Aperfeiçoamento de Oficiais. Bolsonaro já disse que há “grande chance” de os Correios serem privatizados; o general é contra. Ele se colocou “à disposição” do próximo governo.

CLICK. Desconhecido do público, o ministro Rossieli Soares (Educação) fez pronunciamento na TV sobre o Enem e viu a procura por seu nome aumentar exponencialmente no Google.

Instagram Rossieli Soares/ Reprodução

Terceiro turno. O PT decidiu reforçar a artilharia no TSE contra Bolsonaro. O partido prepara uma nova ação para pedir a cassação do presidente eleito.

Não desiste. A ideia é reunir irregularidades na campanha para acusá-lo de abuso de poder econômico.

PRONTO, FALEI!

Foto: Reprodução

“Não vejo nenhum deputado mais alinhado com Bolsonaro do que eu”, do DEPUTADO FEDERAL REELEITO PELO PR-SP CAPITÃO AUGUSTO, sobre se terá o apoio do presidente eleito na disputa pela presidência da Câmara.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E JULIANA BRAGA. COLABORARAM RAFAEL MORAES MOURA E VERA ROSA.

Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao
Instagram: @colunadoestadao