Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

‘Questão do Aécio deve ser resolvida pelo PSDB’, diz pré-candidato ao governo mineiro

O deputado Rodrigo Pacheco, que entrar na disputa em Minas pelo DEM, admite apoio a Alckmin na eleição presidencial

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

22 Fevereiro 2018 | 05h00

BRASÍLIA - Pré-candidato ao governo de Minas Gerais, o deputado federal Rodrigo Pacheco (MDB-MG) afirmou nesta quarta-feira, 21, não ter objeção em apoiar a candidatura presidencial do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). O parlamentar está de malas prontas para o DEM, partido pelo qual deverá se candidatar na sucessão mineira.

Uma eventual chapa PSDB-DEM no Estado, porém, esbarra na situação do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Pacheco já relatou a aliados que não aceitaria ter o tucano como candidato ao Senado na chapa. “Não é que não caiba Aécio (no palanque eleitoral). A questão do Aécio tem de ser resolvida no âmbito do partido dele, o PSDB. O PSDB precisa definir qual o caminho pretende seguir para depois podermos definir a possibilidade de composição com o PSDB.”

+++Alckmin deve intervir nos maiores colégios eleitorais

Ao mesmo tempo em que fez ressalvas a Aécio, Pacheco citou o também tucano Antonio Anastasia (PSDB-MG) como um bom nome para uma aliança. “Eu desejo ser governador de Minas e espero muito o apoio do senador Anastasia.”

+++ Alckmin diz que Anastasia é 'candidato natural' do PSDB ao governo de Minas

Pacheco, que presidiu a Comissão de Constituição e Justiça durante a votação das duas denúncias contra o presidente Michel Temer no ano passado, disse que o apoio a Alckmin em Minas depende de decisão de seu futuro partido, mas que ele não se oporia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.