Futura Press
Futura Press

Gilmar decide soltar Sérgio Côrtes, ex-secretário de Saúde no governo Cabral

Titular que comandou a pasta durante o governo do emedebista deixa presídio em Benfica de chinelo

Rafael Moraes Moura e Amanda Pupo, O Estado de S.Paulo

08 Fevereiro 2018 | 09h12
Atualizado 08 Fevereiro 2018 | 17h54

BRASÍLIA - O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu soltar o ex-secretário de Saúde do Rio Sérgio Côrtes, que comandou a pasta durante o governo de Sérgio Cabral (MDB-RJ) e foi preso na Lava Jato. Gilmar substituiu a prisão de Côrtes por medidas cautelares.

+++ Veja Sérgio Côrtes, ex-secretário de saúde de Cabral, confessando a Bretas que pegou propinas

Em novembro, o ex-secretário disse que usou recursos do empresário Miguel Iskin para financiar as campanhas do governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (MDB), e do candidato à prefeitura do Rio, Pedro Paulo (MDB). Côrtes e Iskin são acusados de participar do esquema de fraudes em licitações na saúde do Rio, que teria movimentado cerca de R$ 16 milhões. 

O ex-secretário de Saúde de Cabral é acusado pelo Ministério Público Federal de receber propina em “equipamentos de segurança e contrainteligência”. 

Por meio de sua assessoria, o deputado Pedro Paulo garantiu que não há nenhuma irregularidade nas suas contas de campanha: "A doação para a  campanha foi declarada, oficial. Está na prestação de contas da campanha do deputado Pedro Paulo e não há qualquer ilícito" 

 

Mais conteúdo sobre:
Sérgio Côrtes Gilmar Mendes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.