Alex Silva|Estadão
Alex Silva|Estadão

Haddad continua conversas com líderes de partidos de esquerda

Coordenador de programa de governo do PT, ex-prefeito vai se encontrar com Manuela D'Avila, Paulo Câmara e Flávio Dino

Ricardo Galhardo, O Estado de S.Paulo

02 Maio 2018 | 23h03

Duas semanas depois de ter se reunido com o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT) tem uma série de encontros agendados com lideranças de partidos de esquerda. Segundo Haddad, que é coordenador do programa de governo do PT para a eleição presidencial e apontado como alternativa a candidato ao Planalto caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja impedido pela Justiça, o objetivo das conversas não é costurar alianças eleitorais, mas falar sobre propostas e experiências administrativas.

Na semana que vem ou na próxima Haddad vai se encontrar com Manuela D'Avila, pré-candidata do PCdoB. Segundo o ex-prefeito, a agenda foi pedida pela ex-vice-prefeita Nádia Campeão (PCdoB) ainda durante o Carnaval.

++ Para entender: o que significam direita, esquerda e centro na política?

Nesta quinta-feira, Haddad se encontra com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) em um evento na Fundação Lemmann em São Paulo. Além disso, o ex-prefeito vai solicitar um encontro com o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), para falar sobre projetos bem sucedidos do governo estadual. A ideia é falar com todos os governadores de partidos de esquerda para prospectar projetos bem sucedidos que possam ser incorporados ao programa petista.

+ PT avalia como funcionar sem a presença do líder

+ Esquerda está unida para derrotar direita em outubro, diz Haddad

Segundo Haddad, existe uma confusão sobre as conversas que ele tem mantido com lideranças de outros partidos de esquerda. “Misturaram as estações. Eu, quando discuto, é na minha condição. O meu mandato é (coordenador do) programa. Nessa condição eu discuto e vou continuar discutindo porque é o mandato que recebi do Lula, buscar uma aproximação programática”, afirmou o ex-prefeito.

PT AINDA NÃO DEBATE ALTERTIVA A LULA, DIZ EX-PREFEITO

Haddad, no entanto, admitiu que as conversas sobre o programa de governo podem servir de vetor para uma aproximação eleitoral. “Se não for no primeiro turno, é no segundo. Se não for no segundo, é no governo”, disse ele. Segundo o ex-prefeito, ainda não chegou o momento de o PT debater alternativas a Lula, uma vez que ainda existem caminhos jurídicos para que o ex-presidente deixe a cadeia e viabilize a candidatura presidencial.

+ Ciro agradece Wagner por sugerir chapa conjunta de PDT e PT

“Os recursos foram julgados? Não. Tem dois recursos em andamento. Não há impedimento para demandar o registro da candidatura. As ADCs (ações declaratórias de constitucionalidade sobre prisão em segunda instância) devem ser julgadas na semana que vem. Não está colocado (o debate sobre uma alternativa a Lula)”, disse Haddad na noite desta quarta-feira depois de participar de um debate sobre educação na Faculdade de Direito do Largo São Francisco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.