Valter Pontes/SECOM SALVADOR
Valter Pontes/SECOM SALVADOR

ACM Neto diz a aliados que não deve se candidatar a governo da Bahia

Atual prefeito de Salvador e presidente do DEM vai anunciar na sexta-feira, 6, se vai disputar eleições

Isadora Peron e Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

02 Abril 2018 | 21h30

BRASÍLIA - O presidente do DEM, ACM Neto, vai anunciar na sexta-feira, 6, se permanece à frente da prefeitura de Salvador ou se renuncia ao cargo para ser candidato ao governo da Bahia. A aliados, no entanto, disse que hoje a chance de permanecer na prefeitura é maior do que a de sair.

O prefeito tem afirmado que vai analisar o cenário até o "último momento" e que a sua decisão vai depender das alianças que conseguir fechar com outros partidos, como o PP e o PR. Pelas regras eleitorais, ele tem que se desincompatibilizar do cargo até sábado, 7 de abril, seis meses antes da eleição.

+ ‘Maia não será candidato do governo’, diz ACM Neto

Um dos entraves para a decisão de ACM Neto é o fato de o MDB, que apoiaria a sua candidatura, não abrir mão de lançar o nome do deputado Lúcio Vieira Lima à reeleição. O prefeito teme o desgaste político que isso pode trazer, já que Lúcio é irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima e também foi denunciado no caso dos R$ 51 milhões encontrados em um apartamento em Salvador.

Aliados do DEM e de outros partidos, como PSDB, pressionam para que ele dispute a eleição, o que garantiria um palanque forte para o futuro candidato à Presidência, seja ele Rodrigo Maia (DEM) ou Geraldo Alckmin (PSDB).

+ Candidatos podem arrecadar recursos antes da campanha

Caso ACM Neto não seja candidato, a avaliação desse grupo é que o atual governador, Rui Costa, que é do PT, vai se reeleger “sem dificuldades”.

ACM Neto também tem sinalizado que, se não deixar a prefeitura, o DEM pode lançar como candidato ao governo o nome do atual prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.