PF prende marido de enteada de Jucá com fuzil 762 e pistola 45

PF prende marido de enteada de Jucá com fuzil 762 e pistola 45

Descoberta de armamento de posse do marido de Luciana Surita ocorreu durante buscas da Operação Anel de Giges nesta quinta-feira, 28, que também mira dois filhos do senador peemedebista em suposto desvio de R$ 32 milhões em projeto do Minha Casa Minha Vida

Julia Affonso, Fausto Macedo e Andreza Matais

28 Setembro 2017 | 12h08

Foto: PF

Foto: PF

A Polícia Federal prendeu em flagrante por posse ilegal de armas o marido de Luciana Surita da Motta Macedo, enteada do senador Romero Jucá (PMDB/RR). A prisão de Frederico Macedo ocorreu nesta quinta-feira, 28.

Durante buscas na residência de Luciana, os federais encontraram um fuzil 762 e uma pistola .45 além de munições.

Os investigadores não localizaram registros das armas, nem autorização para Frederico como colecionador nem como atirador.

A Operação Anel de Giges mira os filhos de Jucá, Rodrigo de Holanda Menezes Jucá e Marina de Holanda Menezes Jucá, e duas enteadas dele, as filhas da prefeita de Boa Vista, Teresa Surita (PMDB) – ex-mulher do senador -, Luciana Surita da Motta Macedo e Ana Paula Surita Motta Macedo.

OUTRAS DO BLOG: + Carta de desfiliação de Palocci liga Lula, Dilma e PT à corrupção

Moro manda força-tarefa apresentar recibos de offshore em ação contra Lula

O superintendente da Caixa em Roraima Severino Ribas também é alvo da investigação sobre suposto desvio de R$ 32 milhões dos cofres públicos, tendo como origem o superfaturamento na aquisição da Fazenda Recreio, localizada em Boa Vista e na construção do empreendimento Vila Jardim, do projeto Minha Casa Minha Vida no bairro Cidade Satélite, na capital de Roraima.

Segundo a PF, são investigadas as transações decorrentes da venda da Fazenda Recreio para a construção do empreendimento Vila Jardim, bem como pela fiscalização e aprovação do empreendimento na Caixa Econômica Federal.

COM A PALAVRA, A CAIXA

“Com relação à Operação Anel de Giges, realizada nesta quinta-feira (28/09), a Caixa Econômica Federal esclarece que as informações estão sendo repassadas exclusivamente às autoridades competentes.”

“A CAIXA esclarece que mantém contato permanente com as autoridades competentes, prestando irrestrita colaboração com as investigações e operações policiais.”

Atenciosamente,

Assessoria de Imprensa da CAIXA