Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Politica » ‘Mineirinho’, ‘Grisalho’, ‘Novo Canário’, os destinatários de propina da Odebrecht

Política

‘Mineirinho’, ‘Grisalho’, ‘Novo Canário’, os destinatários de propina da Odebrecht

Politica

ODEBRECHT

‘Mineirinho’, ‘Grisalho’, ‘Novo Canário’, os destinatários de propina da Odebrecht

Codinomes exóticos de recebedores de valores milionários, inclusive durante as eleições, aparecem em planilhas da empresa que estão na mira da Lava Jato; empreiteira já anunciou que vai fazer 'colaboração definitiva'

0

Mateus Coutinho, Ricardo Brandt e Julia Affonso

23 Março 2016 | 10h45

Prédio da Odebrecht em São Paulo. Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Prédio da Odebrecht em São Paulo. Foto: Paulo Whitaker/Reuters

Ao avançar sobre o intricado esquema de pagamento de propinas a agentes públicos e políticos das empresas do grupo Odebrecht, os investigadores da Lava Jato se depararam com uma nova leva de apelidos e nomes cifrados para se refeir aos destinatários de pagamentos milionários da empreiteira. “Mineirinho”, “Grisalho”, “Crente”, “Novo Canário” e até “Jacaré” estão entre os nomes dos destinatários que receberam recursos, inclusive, durante as eleições de 2014.

Na noite desta terça-feira, 22, os executivos da empresa, incluindo Marcelo Odebrecht, anunciaram que decidiram fazer uma colaboração “definitiva” com a Lava Jato. Com isso, a expectativa é de que os nomes cifrados acabem vindo à tona.

VEJA UMA DAS PLANILHAS DE MARIA LÚCIA: 

planilhanovocanario

Até o momento, ao menos 21 nomes de destinatários dos pagamentos ilícitos feitos no Brasil a mando de executivos da empreiteira foram identificados pela Polícia Federal, que suspeita que eles sejam em vários casos meros intermediários dos destinatários finais da propina.

[veja_tambem]

Alguns nomes não identificados, contudo, chamaram a atenção dos investigadores, sobretudo pelo grande volume de recursos que teriam recebido, como é o caso de “Mineirinho”, apontado como destinatário de R$ 15 milhões entre 7 de outubro e 23 de dezembro de 2014. As entregas, segundo as planilhas, teriam sido feitas em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais.

mineirinho1

A quantia foi solicitada pelo diretor superintendente da Odebrecht Infraestrutura para Minas Gerais, Espírito Santo e Região Norte, Sérgio Neves, à secretária Maria Lúcia Tavares, que fez delação e admitiu operar a “contabilidade paralela” da empresa a mando de seus superiores. O pedido foi intermediado por Fernando Migliaccio, ex-executivo da empreiteira que fazia o contato com Maria Lúcia e que foi preso na Suíça.

mineirinho3

A solicitação foi encaminhada no dia 30 de setembro de 2014, 13 dias após o então presidente da holding Odebrecht Marcelo Odebrecht conversar com o presidente da Odebrecht Infraestrutura Benedicto Junior sobre a “viabilização” de “15” a um destinatário que até então não estava claro para a PF. “Diante das novas informações ora colacionadas, resta claro que os ’15’ representam, na verdade, R$ 15 milhões, o total de recursos disponibilizados a Mineirinho, via Sérgio Neves”, assinala a Polícia Federal no relatório que embasou a 26ª fase da operação.

CONFIRA ABAIXO O DIÁLOGO DE MARCELO ODEBRECHT COM BENEDICTO:

mineirinho4

Nas planilhas da empresa há identificação das operações uma coluna específica, o codinome do beneficiário e, em alguns casos, senhas utilizadas no momento da entrega. O condinome “Cabeça Chata”, por exemplo, recebedor de R$ 1 milhão em 23 de outubro de 2014 usava a senha “Lasanha”. O “Padeiro”, também com valores milionários, tinha a senha “Gafanhoto”. “Novo Canário”, por sua vez recebeu, R$ 1 milhão em 30 de outubro de 2014, mesma data em que “Grisalho” e “Crente” receberam R$ 500 mil.

planilhaoperacaokibe

Ao longo das planilhas há ainda o “Comprido”, o “Encostado 2″, o “Grisalhão” e o “Tanquinho” entre dezenas de outros condinomes. As senhas: “Perfume”, “Amarelo”, “Nelore”, Alcatra”, “Supervisor”, “Alface”, “Camarão” entre outras.

planilhafofaoCONFIRA TODAS AS PLANILHAS ENCONTRADAS PELA PF COM MARIA LÚCIA:

Documento

Documento

Documento

Documento

Documento

Documento

Documento


COM A PALAVRA, A ODEBRECHT:

Leia a íntegra da nota divulgada pela Odebrecht:

“Compromisso com o Brasil

As avaliações e reflexões levadas a efeito por nossos acionistas e executivos levaram a Odebrecht a decidir por uma colaboração definitiva com as investigações da Operação Lava Jato.

A empresa, que identificou a necessidade de implantar melhorias em suas práticas, vem mantendo contato com as autoridades com o objetivo de colaborar com as investigações, além da iniciativa de leniência já adotada em dezembro junto à Controladoria Geral da União.

Esperamos que os esclarecimentos da colaboração contribuam significativamente com a Justiça brasileira e com a construção de um Brasil melhor.

Na mesma direção, seguimos aperfeiçoando nosso sistema de conformidade e nosso modelo de governança; estamos em processo avançado de adesão ao Pacto Global, da ONU, que visa mobilizar a comunidade empresarial internacional para a adoção, em suas práticas de negócios, de valores reconhecidos nas áreas de direitos humanos, relações de trabalho, meio ambiente e combate à corrupção; estabelecemos metas de conformidade para que nossos negócios se enquadrarem como Empresa Pró-Ética (da CGU), iniciativa que incentiva as empresas a implantarem medidas de prevenção e combate à corrupção e outros tipos de fraudes. Vamos, também, adotar novas práticas de relacionamento com a esfera pública.

Apesar de todas as dificuldades e da consciência de não termos responsabilidade dominante sobre os fatos apurados na Operação Lava Jato – que revela na verdade a existência de um sistema ilegal e ilegítimo de financiamento do sistema partidário-eleitoral do país – seguimos acreditando no Brasil.

Ao contribuir com o aprimoramento do contexto institucional, a Odebrecht olha para si e procura evoluir, mirando o futuro. Entendemos nossa responsabilidade social e econômica, e iremos cumprir nossos contratos e manter seus investimentos. Assim, poderemos preservar os empregos diretos e indiretos que geramos e prosseguir no papel de agente econômico relevante, de forma responsável e sustentável.

Em respeito aos nossos mais de 130 mil integrantes, alguns deles tantas vezes injustamente retratados, às suas famílias, aos nossos clientes, às comunidades em que atuamos, aos nossos parceiros e à sociedade em geral, manifestamos nosso compromisso com o país. São 72 anos de história e sabemos que temos que avançar por meio de ações práticas, do diálogo e da transparência.

Nosso compromisso é o de evoluir com o Brasil e para o Brasil.”

 

Mais conteúdo sobre:

0 Comentarios