‘É a verdade!’

‘É a verdade!’

Engenheiro Glaucos da Costamarques, suposto 'laranja' de Lula, reafirma, ao Estadão, seu interrogatório perante o juiz da Lava Jato no qual declarou não ter recebido alugueis do ex-presidente pelo apartamento 121 do edifício Hill House, em São Bernardo do Campo

Julia Affonso

27 Setembro 2017 | 05h00

 

Glaucos da Costamarques. Foto: Reprodução

O engenheiro Glaucos da Costamarques afirmou ao Estado nesta terça-feira, 26, que é ‘verdadeiro’ o que disse ao juiz federal Sérgio Moro. Interrogado pelo juiz da Lava Jato em 6 de setembro, ele afirmou não ter recebido alugueis do ex-presidente Lula pelo apartamento 121 do edifício Hill House, em São Bernardo do Campo (SP).

Na segunda-feira, 25, o petista entregou recibos ao magistrado que comprovariam o pagamento do aluguel – duas notas fiscais têm datas que não existem, 31 de junho e 31 de novembro. A documentação contesta a versão apresentada por Glaucos no interrogatório do dia último 6.


“É a verdade”, disse Glaucos ao ser questionado na tarde desta terça-feira, 26, pela reportagem sobre o conteúdo de seu depoimento a Moro.

Odebrecht entrega recibos de doação de R$ 4 mi ao Instituto Lula

+ Marcelo diz que pagamentos a Lula vão além dos lançados na planilha ‘Italiano’

Supremo afasta Aécio do Senado e impõe a ele ‘recolhimento noturno’

Perante o juiz da Lava Jato, o engenheiro também havia sido taxativo ao dizer que não houve pagamento pelo apartamento. “Não recebi.”

À Receita, no entanto, Glaucos disse ter declarado que recebeu os valores. “Eu declarei que eu recebi os alugueis, mas eu não recebi.”

O pagamento é uma das acusações da segunda denúncia do Ministério Público Federal, no Paraná, contra Lula – na primeira, o petista foi condenado no caso tríplex; na segunda está sendo processado por corrupção e lavagem nas obras do sítio de Atibaia. Os procuradores afirmam que parte das propinas destinadas a Glaucos, por sua atuação na compra de um terreno que abrigaria o Instituto Lula, foi repassada para o ex-presidente na forma da aquisição do apartamento 121.

O imóvel, segundo a denúncia, foi adquirido em nome de Glaucos, que seria um testa de ferro de Lula. A Procuradoria da Repoública afirma que para tentar dissimular a real propriedade do apartamento, a ex-primeira-dama Marisa Letícia –morta em fevereiro, vítima de um AVC – assinou um contrato fictício de locação com Glaucos, datado de fevereiro de 2011. Os investigadores sustentam que não houve o pagamento do aluguel até pelo menos novembro de 2015.

ESTADÃO: Esses recibos que a defesa…

GLAUCOS DA COSTAMARQUES: “Nada a declarar, viu? Não vou falar nada, tá bom? Meu advogado que vai resolver.”

ESTADÃO: Vi seu depoimento hoje. É aquilo mesmo, o sr não recebeu?

GLAUCOS: “É verdade.”

ESTADÃO: O sr assinou esses recibos?

GLAUCOS: “Olha, fala com o dr João (Mestieri, advogado). Eu não estou autorizado a falar nada. O que eu falei tudo é a verdade.

ESTADÃO: O que o sr falou no depoimento é a verdade?

GLAUCOS: “É a verdade.”

ESTADÃO: Pode dizer se assinou os recibos?

GLAUCOS: “Isso aí eu não vou, nada a declarar, tá bom?”

Mais conteúdo sobre:

operação Lava JatoLula