Conheça todos os novos velhos alvos da Lava Jato

Conheça todos os novos velhos alvos da Lava Jato

Leia a íntegra da decisão do juiz Sérgio Moro para deflagração da Operação Dejà vu, etapa 51 da investigação que mergulhou em um esquema de propinas de R$ 200 milhões na Petrobrás

Ricardo Brandt e Luiz Fernando Teixeira

08 Maio 2018 | 11h06

A Operação Dejà vu, etapa 51 da Lava Jato deflagrada nesta terça-feira, 8, revisitou antigos expedientes de corrupção instalados na Petrobrás entre 2004 e 2014, bateu à porta de personagens conhecidos e levou à ordem de prisão contra alvos supostamente ligados ao repasse de valores ilícitos para o PT e o MDB. Esta é a primeira ação ostensiva da Lava Jato após a prisão do ex-presidente Lula, na noite de 7 de abril, condenado a 12 anos e um mês de reclusão no processo do triplex do Guarujá.

Documento

Moro decretou a prisão de seis investigados que estão sob suspeita de envolvimento em propinas de R$ 200 milhões.

“Em vários casos de pagamento de vantagens indevidas a executivos da Petrobrás ou a agentes políticos, foi constatado, como modus operandi comum, a utilização de contas no exterior em nome de off-shores pelos pagadores e pelos beneficiários para ocultar e dissimular as transações criminosas e o produto do crime de corrupção”, destaca o juiz.

“Já os pagamentos da esfera política teriam sido feitas através de Ângelo Tadeu Lauria. Estariam registrados no sistema de contabilidade informal da Odebrecht pelos codinomes ‘Mestre’ e ‘Tremito’. Ângelo Lauria seria identificado por ‘Voz’.”