A decisão de Fachin que põe Joesley e Saud na cadeia

Ministro do Supremo Tribunal Federal retirou o sigilo da decisão que mandou encarcerar temporariamente os delatores da JBS, neste domingo, 10

Rafael Moraes Moura, Luiz Vassallo e Andreza Matais

10 Setembro 2017 | 12h35

Ao mandar prender Joesley Batista e Ricardo Saud, da JBS, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, ressaltou que, em liberdade, ‘os colaboradores encontrarão os mesmos estímulos voltados a ocultar parte dos elementos probatórios’. O sigilo sobre a decisão foi derrubado neste domingo, 10.

+ Fachin manda PF preservar imagem de Saud e Joesley presos

+ Fachin vê ‘consistentes indícios de exploração de prestígio’ de Miller

+ Fachin manda prender Joesley e Saud e suspende benefícios de delatores

O magistrado decretou prisão temporária dos empresários e negou o encarceramento do ex-procurador Marcelo Miller. Os benefícios dos dois colaboradores estão suspensos por até cinco dias, enquanto durar o encarceramento temporário.

“Percebe-se pelos elementos de convicção trazidos aos autos que a omissão por parte dos colaboradores quando da celebração do acordo, diz respeito ao, em princípio, ilegal aconselhamento que vinham recebendo do então Procurador da República Marcello Miller”, anotou Fachin.

Documento