Divulgação
Divulgação

Venda de caças ao Brasil surpreende imprensa sueca

Autoridades do país comemoram decisão do governo brasileiro e prefeito promete dançar samba

Fernando Nakagawa, enviado especial, Agência Estado

19 Dezembro 2013 | 09h11

Londres - A imprensa sueca destacou nesta quinta-feira, 19, o anúncio de que a Força Aérea Brasileira escolheu a Saab para fornecer 36 caças ao País. O termo "Överraskning", que significa "surpresa", tem sido repetido várias vezes nos jornais da Suécia.

O presidente da empresa sueca, Håkan Buskhe, comemorou a decisão do governo brasileiro. O modelo escolhido pelo Brasil foi o caça Gripen NG. Na página da Saab na internet, há uma imagem da aeronave com a frase em inglês "Gripen: orgulho de se tornar brasileiro".

"Estou extremamente orgulhoso da confiança depositada pelo governo brasileiro no Gripen NG. A Saab tem um forte compromisso com o País e estamos ansiosos para fornecer à Força Aérea Brasileira um caça que é líder mundial e acessível", diz Buskhe em comunicado à imprensa.

Para o governo sueco, o acordo dará nova vida aos negócios da fabricante de aviões, criando novos empregos. "Essa é uma notícia boa para o emprego dos suecos e para a economia sueca. Isso é o resultado do trabalho árduo de muitas pessoas", disse o primeiro-ministro Fredrik Reinfeldt em comunicado.

Paul Lindvall, prefeito de Linköping - cidade onde está instalada a fábrica da Saab - foi um dos mais entusiastas. "É um dia desconcertante e absolutamente fantástico para Linköping. Pensei até em dançar samba ao redor da nossa árvore de Natal", disse ao jornal Sydsvenska Dagbladet.

O representante do Sindicato dos Trabalhadores da Saab, Jan Kovacs, admitiu estar surpreso com a notícia. Ao lembrar que as negociações se arrastaram por mais de uma década, ele disse que não era possível saber para onde as conversas caminhavam. "Fiquei agradavelmente surpreendido", disse ao jornal Göteborgs-Posten.

Além dos 36 novos caças, o acordo anunciado, nesta quarta-feira, inclui subsistemas para o Gripen NG, um pacote de transferência de tecnologia e uma linha de financiamento, assim como um acordo bilateral de colaboração entre os governos brasileiro e sueco. África do Sul, República Checa, Hungria e Tailândia são outros compradores dos caças Gripen.

Ouvido pelo jornal Dagens Nyheter, o analista do Danske Bank, Bjorn Enarson, disse que o negócio "assegura a sobrevivência" da Saab no longo prazo como produtor de aviões de combate. Ele avalia que o acordo com os brasileiros deve influenciar outros países e pode abrir portas para novos clientes. Segundo o jornal, a Suíça poderia ser o próximo a anunciar a compra dos caça Gripen.

Mais conteúdo sobre:
Gripen NG Suécia Saab

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.