Zerbini critica pedido de devolução de R$ 22 mi

O superintendente da Fundação Zerbini de Brasília, Miltom Pacífico, criticou a conduta do Ministério Público do Distrito Federal (MPF), que pretende propor uma ação civil pública contra a entidade, exigindo a devolução de R$ 22 milhões. "O departamento jurídico já está estudando o caso", afirmou. "Nossa imagem foi arranhada".De acordo com o procurador Jairo Bisol, após uma auditoria realizada na última sexta-feira, a prestação de contas da fundação foi reprovada. As despesas no valor de R$ 22 milhões eram referentes a um convênio com a Secretaria de Saúde do Distrito Federal, que previa a execução do Programa Família Saudável - iniciativa semelhante ao paulista Qualis.Bisol também acusou a Fundação Zerbini de ter postergado a entrega de documentos para que a auditoria fosse realizada. "Foram mais de 30 dias de atraso", disse. "Agora, não podemos atribuir as falhas à falta de experiência". Apesar de questionar a gestão de recursos da entidade, o procurador diz ser favorável ao socorro financeiro.Segundo reportagem do Estado, Pacífico ficou indignado com as declarações e considerou estranho o fato de até o início da tarde de terça não ter sido comunicado formalmente sobre o teor da auditoria.As recentes denúncias envolvendo a Fundação Zerbini fizeram também com que o diretor-presidente da entidade, Adelmar Sabino, fosse a Brasília encontrar o procurador-geral de Justiça Leonardo Azeredo Bandarra. A Zerbini, que administra o Instituto do Coração (Incor), atualmente acumula uma dívida de R$ 245 milhões e não encontra fiador para novos empréstimos.Colaborou Lígia Formenti

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.