Zeca do PT responderá processo por difamação em MS

O juiz da 5ª Vara Federal de Campo Grande, Dalton Igor Kita Conrado, acatou hoje a acusação feita por dois procuradores da República contra o ex-governador de Mato Grosso do Sul, José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT. Em abril do ano passado, o ex-governador chamou os promotores de "moleques" e foi processado por calunia e difamação. O advogado do acusado, Newley Amarilha, tentou anular o processo alegando que a Justiça não considerou os argumentos apresentados pela defesa. Essa apelação aconteceu em agosto deste ano. Tudo começou, em abril do ano passado. Na ocasião um grupo de índios da etnia caiová atacou três policiais em Dourados, na região sul do Estado. Duas das vítimas, Rodrigo Loenzato e Ronilson Bartier, morreram no local do ataque. Os procuradores da República Charles Estevão Mota Pessoa e Ramiro Rockembach, afirmaram que o governo do Estado foi omisso, no caso. Em resposta, Zeca do PT, comentou que o Ministério Público Federal em Dourados "está nas mãos de pessoas que agem como moleques", conforme a denúncia. Amarilha afirma não ter sido "moleque" a palavra dita por seu cliente referindo-se aos promotores públicos, mas sim "jovens garotos". O juiz decidiu que "a denúncia preenche os requisitos necessários para o andamento normal do processo". O recurso será analisado pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 3ª. Região, com sede em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.