Zé Dirceu comemora ida de PT ao segundo turno e ataca Aécio e PSDB

O ex-ministro defendeu que o PT consolidou a ida de seus candidatos a prefeito para o segundo turno em São Paulo, Salvador (BA) e Belo Horizonte (MG), segundo pesquisa

Ricardo Brandt, de O Estado de S. Paulo,

29 de setembro de 2012 | 16h27

CAMPINAS - Às vésperas da semana em que pode começar a ser julgado como mentor do esquema do mensalão, o ex-ministro José Dirceu defendeu que as últimas pesquisas mostraram que o PT consolidou a ida de seus candidatos a prefeito para o segundo turno em São Paulo, Salvador (BA) e Belo Horizonte (MG). Dirceu também disparou contra o DEM e o PSDB e qualificou como um "sonho" as possibilidades de aproximação entre o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o PSB para as eleições presidenciais de 2014.

Sem falar sobre o processo do mensalão e buscando distância dos holofotes, desde que começou o julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), no dia 2 de agosto, Dirceu usou seu blog nesta sexta-feira, 28, para defender o crescimento do candidato a prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), e a estagnação do adversário José Serra (PSDB).

"A semana termina com o candidato do PT, Fernando Haddad, empatado com o concorrente tucano, José Serra. José, nesta quarta vez em que disputa a prefeitura paulistana, estacionou ou só cai nas pesquisas", escreveu Dirceu em um texto intitulado "A semana termina com o PT consolidando a passagem de seus candidatos para o 2º turno".

Para Dirceu, enquanto Serra está "estagnado", "o candidato do PT e aliados percorreu o caminho oposto. Haddad cresceu em todas pesquisas". O discurso é o mesmo adotado pela campanha de Haddad diante da última pesquisa Datafolha de quinta-feira em que o candidato petista subiu de 15% para 18%, enquanto Serra tem passou de 21% para 22%. Na terça-feira, o Ibope mostrou Haddad com 18% e o candidato do PSDB com 17%.

Bahia e Ceará

Dirceu elenca ainda a virada do candidato do PT em Salvador, Nelson Pelegrino, "que garante 2º turno para os eleitores da capital baiana"

contra o deputado ACM Neto (DEM) e a subida do candidato petista Elmano de Freitas, em Fortaleza, que junto com Roberto Claudio (PSB) passaram Moroni Torgan (DEM).

"Estou falando dos candidatos do PT que foram os principais alvos de toda uma torcida - eu diria mesmo, de uma campanha - contra o partido e seus candidatos, dados por semanas seguidas pela oposição e analistas políticos como derrotados", afirma Dirceu. Segundo ele, esses cenários foram "ignorados" pela mídia.

Erro

O ex-ministro defende ainda que os analistas erraram quando falaram em derrotas do PT pelo país e citou o caso do candidato a prefeito de Belo Horizonte, Patrus Ananias, que segundo ele "continua firma na disputa", enquanto seu adversário e líder Márcio Lacerda (PSB) "cai vários pontos percentuais".

Dirceu considera em Minas apenas os votos válidos em que o petista tem 39% das, e Lacerda 55% - o que daria a vitória para ele no primeiro turno. Segundo ele, "o resultado a que chegou Patrus é surpreendente, já que ele enfrenta duas poderosas máquinas de governo (a da Prefeitura de BH e a do governo de Minas) e uma aliança entre o atual prefeito Lacerda e o principal líder mineiro e da oposição nacional, senador Aécio Neves".

Sonho de verão

Em outro texto publicado em seu blog nesta sexta-feira, Dirceu afirma que Aécio "investe em um sonho de aliança PSDB-PSB para 2014" enquanto o PSDB "afunda", sobre sua participação na campanha em Recife (PE), esta semana.

"A uma semana do primeiro turno da eleição municipal e enquanto o PSDB praticamente desaparece nas regiões Centro-Oeste, Sul e Sudeste do país (pode ser que vença em Vitória, e olhe lá!), seu principal líder nacional com mandato (eles têm, também, o ex-presidente FHC), o senador Aécio Neves faz campanha eleitoral no Recife".

Segundo o ex-ministro, que apesar do isolamento continua politicamente atuante no partido, a aproximação de Aécio é um "sonho de verão". "O fato de o PSB, que integra a base aliada do governo federal, por questões e disputas localizadas, ter rompido com o PT este ano em diversas capitais importantes, como Recife, Belo Horizonte e Fortaleza, não quer dizer que não estejamos juntos em 2014", afirma Dirceu, que tem falado com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva semanalmente.

Dirceu afirma que Aécio "rasgou elogios e jogou flores para o PSB", do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, presidente nacional do partido e também possível candidato à Presidência em 2014. "Aécio dirigiu toda uma série de rapapés em relação ao PSB, na esperança de uma aliança nacional tucano-socialista em 2014, na eleição nacional na qual ele trabalha para ser candidato ao Planalto."

O ex-ministro diz ainda que Aécio - que esta semana acusou Lula de atuar como líder de facção - louva o PSB, mas não deixa de atacar a presidente Dilma Rousseff, que tem o partido como base aliada.

"As loas de Aécio ao partido, portanto, e sua esperança de uma aliança nacional PSB-PSDB em 2014, em torno de sua candidatura presidencial, podem não passar de um sonho de verão. No caso, sonho de primavera, a estação em que estamos", ironiza.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012mensalaoZé DirceuLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.