Zapatero e Lula apresentarão no Peru plano para o Haiti

O primeiro-ministro da Espanha, JoséLuis Rodríguez Zapatero, e o presidente do Brasil, Luiz InácioLula da Silva, acertaram na quinta-feira discutir um plano deapoio ao Haiti durante a Cúpula da América Latina, do Caribe eda Europa que acontece em Lima. Os dirigentes reuniram-se em um café da manhã de cerca deduas horas em Brasília, durante uma breve passagem de Zapateropelo território nacional. Logo depois, o premiê partiu rumo àcapital peruana. Na reunião, os dois concordaram com propor à cúpula acriação de um Programa de Assistência Humanitária ao Haiti, comcontribuições voluntárias dos países da América Latina, doCaribe e da União Européia (UE), disseram em um comunicadoconjunto. O Haiti enfrentou no mês passado violentos protestos devidoà alta nos preços dos alimentos, o que gerou conflitos com astropas de paz das Nações Unidas e deixou vários mortos. Antes do encontro, Zapatero ressaltou o peso das economiasdo Brasil e da Espanha em suas respectivas regiões. "A Espanha e o Brasil são dois pilares essenciais, duaslocomotivas da América Latina e da Europa", afirmou. Em um breve discurso de boas-vindas, Lula manifestou suasolidariedade com as vítimas do atentado realizado naquarta-feira pelo grupo separatista basco ETA, no norte daEspanha, que deixou um policial morto e vários outros feridos. Sobre a reunião de Lima, os dirigentes ainda destacaram aimportância de que se debatam os temas como pobreza,desigualdade, inclusão social e desenvolvimento sustentável,além de meio ambiente, mudanças climáticas e energia. Os dois governantes concordaram, por fim, a respeito danecessidade de haver uma reforma na Organização das NaçõesUnidas (ONU) e destacaram seu interesse de que seja selado umacordo na rodada de negociações de Doha sobre o comérciomundial. Expressaram também seu apoio à conclusão de um acordo entrea UE e o bloco sul-americano Mercosul, do qual fazem parte oBrasil, a Argentina, o Paraguai e o Uruguai. Em sua mensagem, Lula chamou atenção para a contribuição daEspanha ao desenvolvimento do Brasil, no qual os espanhóisfiguram com alguns dos maiores investidores estrangeiros. "São muitos os investimentos espanhóis no Brasil, temaumentado muito a nossa balança comercial", afirmou. Zapatero manifestou seu interesse em "promover uma segundaonda de investimentos no Brasil, com ênfase no incentivo àspequenas e médias empresas", disse o comunicado. "As empresas espanholas dão ao Brasil a máximaqualificação, a máxima expectativa econômica, a máximasegurança jurídica e têm plena confiança na sua estabilidade nofuturo", afirmou o espanhol. (Reportagem de Julio Villaverde)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.