Young acusa PTB de 'estelionato' ao manter Tuma

O candidato do PV ao Senado Federal por São Paulo, Ricardo Young, voltou a criticar hoje a permanência do senador Romeu Tuma (PTB) na disputa à reeleição, e avaliou a atitude do partido em mantê-lo na corrida como um "estelionato eleitoral". Em evento em Guarulhos (SP), no qual fez corpo a corpo com eleitores, Young elogiou Tuma, mas o PTB de "fazer o que bem entende".

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

27 de setembro de 2010 | 19h26

"O Tuma, que é um homem honrado, não está tendo chance de definir o que ele quer", disse o candidato do PV. No último dia 8, em ato na capital paulista, Young havia pedido ao senador que desistisse das eleições. "Minha posição é inalterada e vale ainda mais agora".

Desde o início de setembro, Tuma está internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, sem previsão de alta. O último boletim médico divulgado pelo hospital apontava que Tuma foi internado para fazer tratamento de um quadro infeccioso de afonia. A equipe de campanha justifica o longo período de internação a uma medida de precaução da equipe médica, coordenada por Rogério Tuma, filho do candidato.

No evento de hoje, Young chamou de "má-fé" a tentativa do PTB de "empurrar a eleição de Tuma". "O eleitor merece transparência, peço ao PTB que seja honesto, faça como o (Orestes) Quércia", disse Young, referindo-se à saída de Orestes Quércia (PMDB) da disputa. O peemedebista trata atualmente de um câncer na próstata.

Perguntado, Young elogiou o candidato do PSDB ao Senado Federal, Aloysio Nunes Ferreira, mas negou que tenha fechado apoio com o concorrente. Na última terça-feira, 21, o prefeito de Itu (SP) e dirigente estadual do PV, Herculano Passos, organizou ato em apoio ao tucano, que contou com a participação do próprio Young. "Foi realizado um evento, mas da parte do Herculano", explicou. De acordo com o candidato do PV, a sigla autorizou que suas lideranças declarem o segundo voto a quem preferirem, uma vez que o partido tem apenas um nome ao Senado.

No evento de hoje, materiais impressos de candidatos do PV a deputado federal e estadual incluíam o nome e o número de Aloysio. O presidente nacional do PV, José Luiz de França Penna, declarou que seu segundo voto é do tucano e garantiu que não está sozinho no apoio. "Grande parte do PV em São Paulo tem apoiado o candidato do PSDB", afirmou. Na semana passada, Aloysio declarou apoio a Young e, hoje, foi a vez da filha de Quércia, Andréia Quércia, anunciar o seu segundo voto no candidato do PV.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.