Yeda viaja e não passa cargo ao vice no Rio Grande do Sul

Em sua primeira viagem para fora do Estado como governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB) não passou o cargo para o vice-governador Paulo Feijó (PFL). Desde que participou da mobilização pela derrubada do projeto de aumento de impostos votado pela Assembléia Legislativa no final de dezembro, Feijó e o PFL são considerados "oposição" pela tucana. O vice se queixa de não ser consultado pela governadora e desconfia que o déficit real das finanças públicas não chegará aos R$ 2,3 bilhões previstos pelo secretário da Fazenda Aod Cunha. Para ser ouvido, Feijó promete encaminhar suas sugestões e críticas por escrito a Yeda nos próximos dias.A governadora passou a noite do último domingo e o esta segunda-feira em São Paulo. Ela viaja para Brasília nesta terça. O retorno para Porto Alegre está previsto para quarta-feira. Yeda só é obrigada a transmitir o cargo para Feijó se ficar fora do Estado por mais de dez dias. Seu antecessor, Germano Rigotto (PMDB), passava o comando para o vice Antônio Hohlfeldt (PMDB) sempre que saia do Rio Grande do Sul.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.