Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

Witzel diz que não vai apoiar nenhum candidato para presidência da Alerj

Governador do Rio deu declaração após o futuro líder de seu partido na Alerj fechar acordo pela eleição de deputado do PT

Mateus Fagundes, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2019 | 13h28

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), negou na manhã desta quinta-feira, 10, que vá apoiar qualquer candidato à presidência da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). 

"Reafirmo que esta é uma questão interna da Assembleia e das lideranças partidárias. É importante ainda informar que, de acordo com o artigo segundo da Constituição Federal, o governador não pode interferir em outros poderes", escreveu o governador no Twitter.

A declaração de Witzel vem dias depois dos jornais O Dia e O Globo informarem que o futuro líder dele na Alerj, o deputado reeleito Márcio Pacheco (PSC), fechou acordo pela eleição de André Ceciliano (PT), presidente interino da Casa. O acerto gerou críticas nas redes sociais contra o governador fluminense, eleito com o discurso contra a esquerda.

Quando a aproximação de Witzel e do PT veio à tona, o filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, o deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), fez uma reunião com a bancada do partido dele.

"A Alerj terá alternativa para disputa da presidência e a bancada, disposta a abrir mão da cabeça da chapa, sinaliza que o importante é o RJ e já articula com outros partidos", escreveu no Twitter o filho mais velho de Bolsonaro. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.