Amanda Perobelli/Reuters
Amanda Perobelli/Reuters

WhatsApp suspende contas de administradores de grupos em apoio a Lula

Lulaverso, portal divulgado esta semana, abriga grupos de apoio ao ex-presidente no WhatsApp; assessoria do petista afirma que o banimento foi reação automática do sistema à alta adesão

Bruno Luiz e Levy Teles, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2022 | 18h39
Atualizado 11 de março de 2022 | 18h39

O WhatsApp suspendeu contas de administradores dos grupos oficiais de apoio ao pré-candidato à Presidência pelo PT, Luiz Inácio Lula da Silva no chamado Lulaverso. A atividade nos grupos foi prejudicada.

O Lulaverso é um portal multiplataforma criado pela comunicação do ex-presidente e está presente no Twitter, TikTok, Instagram, WhatsApp e Telegram. A iniciativa que estreou nesta segunda-feira, 7, busca alcançar o público mais jovem com gifs, figurinhas, memes e vídeos em apoio ao petista.

Até o momento, os grupos no Lulaverso vão até o número 20 - grupos que o Estadão teve acesso chegam perto do limite de 256 usuários imposto pelo WhatsApp. Nas outras plataformas somadas, o Lulaverso tem cerca de 20 mil seguidores.

Procurada, a assessoria de imprensa do petista diz que o banimento foi uma reação automática do sistema do WhatsApp à movimentação intensa em alguns grupos. Ainda de acordo com a equipe, foi enviado um relatório técnico ao WhatsApp e não houve outras suspensões. Questionada sobre o impacto da ação da plataforma, a assessoria informou que poucos administradores foram afetados. Nenhum outro grupo foi suspenso depois dos esclarecimentos prestados e aguardamos o restabelecimento dos grupos que foram alcançados pela suspensão automática.

O WhatsApp afirmou ao Estadão que não comenta casos específicos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.