Weslian diz que faltou a debate devido a 'agressões'

O candidato do PT ao Palácio do Buriti, Agnelo Queiroz, participou ontem de uma entrevista na TV Bandeirantes. O objetivo inicial era debater com a candidata do PSC, Weslian Roriz, que disputa com ele o segundo turno. Mas ela não compareceu. Em carta, a mulher do ex-governador Joaquim Roriz atribuiu sua ausência a "agressões gratuitas dos adversários", à "rapidez de todo esse processo político" e ao "reduzido tempo de preparo para um evento desse tipo".

RAFAEL MORAES MOURA, Agência Estado

15 de outubro de 2010 | 08h23

Líder nas pesquisas de intenção de voto, o ex-ministro do Esporte considerou "lamentável" a ausência de Weslian. "Infelizmente minha concorrente não apareceu, não contribuiu com a democracia, com a possibilidade de o eleitor conhecer suas ideias e propostas", criticou o candidato.

Agnelo Queiroz, que é médico, reafirmou seu compromisso de assumir a Secretaria de Saúde nos primeiros três meses de mandato, para adotar "medidas emergenciais", como a instalação de unidades de pronto-atendimento. Disse que, caso seja eleito, criará uma secretaria especial encarregada de fazer "investigação rigorosa" de todos os órgãos do governo. "Temos obrigação de verificar a situação de todos os contratos para permitir que o DF retome a sua credibilidade", afirmou, referindo-se aos escândalos da gestão do ex-governador José Roberto Arruda.

O petista também defendeu seu vice na chapa, o deputado federal Tadeu Filippelli (PMDB), ex-aliado de Joaquim Roriz. "Não tem contra ele (Filippelli) uma única denúncia, um único processo, ele é ficha limpa como eu", disse. Sobre aborto, considerou a medida uma "violência contra a mulher". "Eu sou contra o aborto, sou médico, tenho um juramento em defesa à vida", afirmou.

O risco de aumento na abstenção, por causa do feriado prolongado no segundo turno, foi lembrado nas considerações finais. "Faço esse apelo, participe do nosso processo eleitoral, fique, aproveite o feriado, fique nessa cidade maravilhosa, não deixe de participar de um momento tão importante", disse. No primeiro turno, Agnelo obteve 48,41% dos votos válidos, contra 31,50% de Weslian Roriz, que assumiu de última hora a candidatura do marido, Joaquim Roriz, que foi impedido de disputar, por causa da indefinição da vigência da Lei da Ficha Limpa. Weslian participou de dois debates, na TV Globo e no SBT. Ficou famosa nacionalmente após a sucessão de gafes cometidas à frente das câmeras - chegou a defender "toda aquela corrupção", para logo depois corrigir-se.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2010DFdebatesegundo turno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.