Wilson Dias/Agência Brasil
Wilson Dias/Agência Brasil

Weintraub elogia monarquia e provoca feministas em aniversário da República

Em sequência de posts no Twitter, o ministro da Educação classificou a Proclamação da República como o “primeiro golpe de estado no Brasil”

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2019 | 10h08

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, fez elogios à Monarquia e questionou as comemorações em homenagem à Proclamação da República, que completa 130 anos nesta sexta-feira, 15.

“Não estou defendendo que voltemos à Monarquia mas...O que diabos estamos comemorando hoje?”, questionou, em uma sequência de posts no seu perfil no Twitter. Segundo o ministro, a proclamação foi uma “infâmia” contra o então imperador D. Pedro II, a quem classificou como um dos melhores gestores e governantes da história mundial.

Dom Pedro II cedeu o comando do Brasil em 15 de novembro de 1889 a Marechal Deodoro da Fonseca, primeiro presidente do País. 

 


Weintraub também provocou o movimento feminista, convidando-o a uma reflexão: “O Império teve seus dois principais atos assinados por mulheres educadas, inteligentes e honestas! Elas nos governaram bem antes de Dilma (Rousseff)”, escreveu, em referência a Imperatriz Maria Leopoldina e a Princesa Isabel

 


Em um terceiro post, Abraham Weintraub divulgou foto na qual aparece em reunião com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. “Qual a melhor forma de ‘comemorar’ o primeiro golpe de estado no Brasil? TRABALHANDO!”, afirmou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.