Wanderval recorre à CCJ para tentar manter o mandato

O deputado Wanderval Santos (PL-SP) recorreu hoje à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara contra a recomendação do Conselho de Ética pela cassação de seu mandato. No recurso, ele pede a nulidade do processo, sob a alegação principal de que foi condenado por um fato que não faz parte da denúncia original encaminhada ao conselho.Wanderval foi processado porque um assessor de seu gabinete sacou R$ 150 mil do esquema de caixa 2 do empresário Marcos Valério Fernandes de Souza. O parecer do relator Chico Alencar (PSOL-RJ) centrou a condenação no fato de que Wanderval disse seguir ordens do ex-deputado Carlos Rodrigues (PL-RJ). O deputado do PL sustenta que Rodrigues determinou a retirada do dinheiro e garante que não sabia do saque nem se beneficiou do dinheiro. Argumenta, ainda, que uma nova representação deveria ser feita contra ele, com novo prazo para defesa.A relatora do recurso será a deputada Denise Frossard (PPS-RJ). A CCJ tem prazo regimental de cinco sessões da Câmara para decidir, mas o recurso deverá ser votado antes disso. Desde já, Wanderval anuncia que, se for derrotado na CCJ, vai recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.