Waldomiro prestará três depoimentos na próxima semana

O ex-secretário de Assuntos Legislativos do Palácio do Planalto, Waldomiro Diniz, será ouvido pela Polícia Federal na próxima terça-feira, no inquérito onde é investigado por improbidadeadministrativa e prevaricação, quando era presidente da Loteria do Rio de Janeiro (Loterj). No mesmo dia, Diniz prestará depoimento ao Ministério Público Federal, também no mesmo caso e, dia 3, será interrogado de novo na PF por seu suposto envolvimento com recebimento de propina do bicheiro Carlos Ramos, o Carlinhos Cachoeira.Waldomiro é citado no inquérito da PF aberto em 2001, onde aparece como uma das 15 pessoas - entre empresários e funcionários públicos ? que estariam envolvidas em irregularidade de 21 bingos no Rio. Em sua gestão na presidência da Loterj, o ex-assessor dobrou a liberação de casas de jogos. Na PF, Waldomiro aparece como suspeito de ter contribuído com a sonegação de impostos por ter falhado na fiscalização do setor. Neste caso, ele já teve a quebra de sigilo bancário e fiscal pedido por procuradores da República.Mesmo com três depoimentos marcados em dois dias, investigadores que trabalham no caso acreditam que Waldomiro falará bem menos do que imagina. O Ministério Público Federal, inclusive, avalia a possibilidade de o ex-assessor do Palácio do Planalto evocar o direito de permanecer calado, o que poderá acontecer até mesmo na Justiça. "Esta é uma possibilidade que existe, apesar de Diniz ter sempre mostrado sinais de que quer colaborar. Mas, mesmo assim, esperamos poucos fatos novos", afirma um dos investigadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.