Waldomiro explica patrimônio e diz que mora de favor

Embora tenha respondido a apenas uma pergunta nos depoimentos que prestou na Polícia Federal (PF), o ex-subchefe de Assuntos Parlamentares da Casa Civil Waldomiro Diniz, antes de ser indiciado por prevaricação, deu algumas informações sobre a vida pessoal e o patrimônio. Waldomiro disse que o apartamento que vive em Brasília é cedido pela sogra e, indagado sobre os bens que possui, citou uma fazenda em Luziânia (GO) e dois automóveis, uma Parati 99 e uma Blazer 2000. Informou ainda ser funcionário público há 23 anos e, questionado sobre o trabalho atual, corrigiu: "Sou ex-funcionário público".Acompanhado de dois advogados, Waldomiro deixou de responder a perguntas como se é sócio de alguma empresa e se tem conta bancária no exterior. O ex-subchefe da Casa Civil foi indiciado pelo delegado Hebert Reis Mesquita no inquérito número 16/2001 da PF do Rio, que investiga irregularidades no Bingo Scala, no Leblon, zona sul do Rio, de propriedade do empresário Francisco Recarey. Segundo Mesquita, apesar do indiciamento por um crime mais brando, com pena de três meses a um ano de prisão, Waldomiro continuará a ser investigado por possível prática de corrupção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.