Waldomiro e Cachoeira são indiciados por corrupção

O delegado-titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) da Polícia Civil anunciou oficialmente o indiciamento do ex-subchefe de Assuntos Parlamentares da Casa Civil Waldomiro Diniz e do empresário de bingo Carlos Ramos, o Carlinhos Cachoeira, por corrupção. Os dois foram indiciados no inquérito que investiga supostas irregularidades na Loteria do Estado do Rio de Janeiro (Loterj), órgão que Diniz presidiu em 2001 e 2002.Segundo o delegado, há indícios de que Diniz cometeu corrupção passiva, e Cachoeira, corrupção passiva, crimes punidos com penas de 3 a oito anos de prisão, agraváveis por mais um terço. O policial informou que se baseou na reportagem da revista Época, que reproduz uma fita com a gravação de um encontro entre os dois, para indiciá-los, porque, supostamente, houve o pagamento de propina para Diniz mudar um edital em favor do empresário. O delegado descartou a possibilidade de ouvir no inquérito o secretário de Segurança Pública, Anthony Garotinho, que, como governador, nomeou Diniz para a Loterj. ?O secretário não é acusado de nada?, declarou. ?Ele determinou a abertura do inquérito.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.