Waldomiro Diniz se reuniu com bicheiro durante governo Lula

O Ministério Público já tem provas de que no ano passado o então assessor da Casa Civil Waldomiro Diniz se encontrou mais de uma vez com o bicheiro Carlos Cachoeira, informa Dora Kramer em sua coluna, na edição de hoje do Estado.?Os procuradores apuram a razão dessas conversas, cujo teor pode determinar a existência de conduta ilícita continuada nos procedimentos do assessor, invalidando a linha de defesa adotada pelo governo, segundo a qual a relação de Waldomiro com o contraventor limitou-se ao ano de 2002?, afirma a colunista.O MP apura a atuação do ex-assessor do Planalto em bingos e loterias que, em tese, não seriam suas áreas de atuação no governo. Segundo Dora Kramer, as investigações seguem três caminhos: os encontros com o bicheiro, o contrato da Caixa Econômica Federal com a empresa operadora do sistema online de loterias, a GTech, e as relações do assessor com a Associação Brasileira dos Bingos. A colunista afirma que a pergunta considerada chave pelos investigadores é: por que o assessor parlamentar da Presidência participava de decisões - como a primeira grande reunião de governo para tratar da legislação de regulamentação dos bingos -, se não dispunha de delegação oficial para tal e se suas atribuições funcionais nada tinham a ver com isso? Segundo Dora Kramer, está participação é considerada ?nebulosa?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.